Ciência

Empresa planeja enviar turistas à Estação Espacial Internacional em 2020

A empresa Axiom Space está organizando uma expedição de 10 dias a bordo da Estação Espacial Internacional. A inscrição individual, anunciada em “míseros” US$ 55 milhões, abrange a estadia orbital, o transporte até a estação e um programa de treinamento de astronauta com duração de 15 semanas.

Turistas no espaço

Com membros experientes no campo da exploração espacial e envolvidos em todas as missões da Estação Espacial Internacional (ISS) desde o início do programa, a empresa estadunidense, com sede em Houston, está determinada a cumprir seu objetivo: enviar os primeiros clientes ao espaço em 2020.

Além das viagens espaciais, a Axiom Space está também desenvolvendo sua própria estação (Axiom Station), cujos módulos estão sendo projetados em parceria com o arquiteto francês Philippe Starck. Fascinado pela exploração espacial, Starck acredita que poderá desenhar módulos confortáveis e convidativos:

Minha visão para o módulo de habitação na Axiom Station é criar um ‘ovo’ confortável que seja convidativo, com paredes macias e um design perfeitamente em harmonia com os valores e movimentos do corpo humano em gravidade zero. – Philippe Starck

A Axiom Space está também desenvolvendo sua própria estação (Crédito: Axiom Space)

Substituindo a Estação Espacial Internacional

Em primeiro lugar, os módulos serão conectados à Estação Espacial Internacional. O objetivo é acomodar os primeiros viajantes espaciais – aqueles, é claro, que podem pagar os US$ 55 milhões exigidos. Embora inspirados na ISS, os espaços utilitários da Axiom Station serão, segundo Starck, ligeiramente diferentes.

Dessa forma, a estrutura se desprenderá  da ISS e passará a pairar no espaço por conta própria. A Axiom Space não revelou quando o desacoplamento realmente ocorrerá. Contudo, é possível presumir que aconteça antes de 2024 – ano em que a NASA pretende desativar a ISS.

Os módulos serão inicialmente conectados à Estação Espacial Internacional (Crédito: Axiom Space)

Em síntese, a desativação da ISS resultaria na perda dos serviços de órbita baixa terrestre. Abrangeria, assim, toda a infraestrutura de exploração e pesquisa desenvolvida por quase duas décadas. Para dar continuidade ao legado ISS – e iniciar o próprio –, a Axiom Space deseja facilitar o “processo de transição”:

Esta iniciativa comercial Axiom Space permitirá (…) a transição do mercado multibilionário de órbita baixa terrestre para o setor privado. – Michael Suffredini (CEO e presidente da Axiom Space)

O mercado do turismo espacial

A Axiom Space não é, contudo, a única empresa a buscar espaço no novo mercado do turismo espacial. A startup Orion Span, por exemplo, pretende lançar o “primeiro hotel espacial de luxo” em 2021. Já Bigelow Aerospace divulgou suas intenções de lançar de dois módulos infláveis no mesmo ano.

Em suma, também disputam o mercado a Zero 2 Infinity, que está construindo um módulo pressurizado reutilizável para levar turistas até os limites do espaço sideral – a uma altitude de 36 quilômetros –, e a Blue Origin, de propriedade do bilionário Jeff Bezos (Amazon), que poderá enviar turistas ao espaço ainda em 2018.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook