Negócios

O trabalho tem futuro?

O trabalho tem futuro? Você chega para seu chefe e diz:

Você: ‘Chefe são 14h, aqui estão todas as entregas do dia, pelo que vi todos os prazos estão ok.’

Chefe: ‘Perfeito!’

Você: ‘Estou de saída, vou levar meu cachorro ao pet shop e depois curtir uma praia.’

Chefe: ‘Ótimo! Aproveite! Você vem amanhã?’

Você: ‘Ainda não sei’.

Parece muito irreal? Talvez seja, assim como mulheres não podiam trabalhar, EPI não era obrigatório, entre tantas outras coisas que hoje parecem absurdas.

No futuro, vida pessoal e profissional se fundem, o detalhe é que isso não está muito distante de acontecer. Seu pagamento será proporcional ao valor que você gera e não as horas que você trabalha.

Quando empregado, trabalhava com TI e não raramente vi excelentes programadores realizando, em 4h, o trabalho de 2 meses de 2 outros programadores. Exemplo real! Alguma coisa está errada, não está?

O trabalho tem futuro?

Agora que mudei de carreira, não basta eu estar ocupado. Minha equipe e eu temos obrigação de produzir; se não formos produtivos, não geramos receita e, consequentemente, não somos pagos. O modelo é meritocrático, no futuro os modelos tendem a funcionar assim.

Menos currículo e mais habilidades, já cita Jeff Weiner, CEO do LinkedIn, nesta reportagem. Quem são os talentos que mais se destacam? Esse destaque é mérito apenas de características e habilidades técnicas?

Muito provável que outras habilidades, tais como: comunicação, iniciativa, flexibilidade, entre outras, acrescentem mais que apenas a questão técnica isolada, no futuro (e não estou desmerecendo os técnicos, mas mesmo os especialistas terão que aprender outras habilidades).

trabalho 01
No futuro, vida pessoal e profissional se fundem (Crédito: Shutterstock)

Geralmente o foco das empresas é em negócios e não nas pessoas (na maior parte das organizações).

Em alguns lugares é pior, não existe foco nas pessoas e nem em negócios, aquelas organizações onde a burocracia é grande, tudo é entregue com atraso, as pessoas que trabalham lá reclamam de tudo e os clientes são mal atendidos.

Bem fácil citar um bom (ou mal) exemplo: o governo, recolhe impostos, o retorno não corresponde à expectativa da população, o servidor público é mal pago, desvalorizado, reclama da sua situação até cansar e buscar uma mudança ou até se aposentar. Para esses exemplos – Pessoas 0 x 0 Negócios.

Menos chefes

Lembra do exemplo da praia e o cachorro indo ao pet shop? Provavelmente esse diálogo nem ocorrerá, talvez não exista chefe para isso, a tendência é que existam mais mentores e não figuras que centralizem autoridade.

Enfim, o mundo está mudando, numa velocidade muito grande. Para crescer no mundo de hoje, você deve aprender mais rápido do que ele muda, mas aprender o quê? Aprenda o que lhe ajude a crescer como pessoa, isso vai ajudar muito mais no seu crescimento profissional, independente de sua área de atuação ou profissão.

Diversas profissões serão extintas, primeiro aquelas de cunho operacional que todo mundo sabe e fala: motorista, cobrador, porteiro, frentista e depois aquelas que ninguém quer falar, mas vão acabar também, médico, advogado, programador, tudo que envolve diagnóstico e procedimentos fixos, robôs são melhores que a gente nisso tudo.

Veja o lado bom: várias outras que não existem vão surgir também! Portanto, esteja preparado, foque no seu crescimento pessoal que o profissional vem, seja com as profissões de hoje ou com as profissões que ainda não surgiram.

Um forte abraço!

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Gustavo Muniz

Formado em Sistemas de Informação, MBA em Gestão de Projetos, quase 20 anos de experiência no mercado corporativo e diversas certificações nas áreas de Gestão de Projetos e Gestão de Serviços. Abandonou uma carreira estável para se dedicar ao empreendedorismo. Jogador de poker, apaixonado por viagens e liberdade. Acredita que apenas por meio do empreendedorismo uma sociedade se desenvolve de verdade.

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook

Leia também

Fechar