eletrônicas
Tecnologia

Tatuagens eletrônicas de grafeno poderão salvar vidas no futuro

Os novos dispositivos oferecem mais vantagens do que os sensores médicos atuais

Um grupo de pesquisadores da Universidade do Texas criou tatuagens à base de grafeno, que funcionam como ferramentas eletrônicas portáteis. As tatuagens podem ser aplicadas diretamente na pele (com água) e são capazes de monitorar a atividade elétrica do cérebro, do coração e dos músculos.

As tatuagens eletrônicas de grafeno são sensores fisiológicos semelhantes aos dispositivos médicos utilizados por pacientes e aos wearables existentes no mercado para monitorar as atividades físicas dos atletas. Contudo, ao contrário destes, oferecem vantagens adicionais.

Devido à sua finura, as tatuagens oferecem um contato mais próximo com a pele, o que aumenta a fidelidade do sinal. Já os sensores tradicionais – normalmente instalados no peito ou amarrados no pulso – não conseguem enviar dados tão precisos.

Além disso, devido ao seu material (grafeno), as tatuagens não necessitam de elementos como correias, colar, gel ou outras peças portáteis para que seus eletrodos funcionem. Apenas água.

Aplicações para as tatuagens eletrônicas

O grafeno é formado por átomos de carbono que se organizam em uma estrutura hexagonal entrelaçada. Leve, resistente, transparente e flexível, é considerado um super material, tão ou mais revolucionário que o plástico.

O grafeno é uma das grandes apostas dos cientistas para revolucionar a indústria tecnológica como um todo. Este material pode ser esticado até um quarto de seu comprimento e conduzir eletricidade a temperatura ambiente mais rapidamente do que qualquer outra substância conhecida.

eletrônicas grafeno

O grafeno é uma das grandes apostas dos cientistas (Crédito: Shutterstock)

As propriedades únicas do grafeno permitem que as tatuagens funcionem como dispositivos eletrônicos portáteis. Dada as características do material, os pesquisadores acreditaram que elas serão os novos sensores médicos e poderão salvar muitas vidas no futuro.

Hoje, os sensores médicos normalmente são gravados na pele e requerem gel ou pasta para permitir que os eletrodos funcionem. Com as tatuagens à base de grafeno, os médicos só irão precisar de água (para a colocação) e um pedaço de fita adesiva (para a remoção).

Monitorando nossa saúde

Após uma série de testes, os pesquisadores concluíram que as tatuagens podem ser usadas com sucesso para medir uma variedade de sinais eletrofisiológicos, incluindo a temperatura e a hidratação da pele.

Além disso, os dispositivos podem funcionar como eletrocardiograma (registrando as oscilações elétricas do músculo cardíaco), eletromiograma (monitoramento da atividade elétrica das membranas musculares) e eletroencefalograma (medindo a atividade elétrica do cérebro).

eletrônicas tatuagens

As tatuagens pode monitorar a atividade elétrica do cérebro, do coração e dos músculos (Crédito: Phys)

Para Shideh Kabiri Ameri, um dos pesquisadores envolvidos no estudo,

As tatuagens eletrônicas de grafeno são mais promissoras para aplicações potenciais em serviços de saúde móveis, tecnologias assistidas e interfaces homem-máquina. – Shideh Kabiri Ameri

O pesquisador prevê para o futuro a instalação das tatuagens eletrônicas de grafeno em casas inteligentes, cadeiras de rodas inteligentes e computadores, aprimorando a interação humana com todos estes dispositivos.


O estudo completo sobre as propriedades das tatuagens eletrônicas de grafeno está disponível na revista ACS Nano.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Futuro Exponencial é um site dedicado a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade. Contate-nos: contato@futuroexponencial.com

Comentários no Facebook