Ciência

Os seres humanos estarão prontos para Marte?

Será que os seres humanos estarão prontos para Marte?

A primeira fotografia de Marte foi tirada pela NASA em 1965. Na época, um editorial do The New York Times criticou duramente a imagem – obtida pela sonda Mariner IV –, afirmando que o planeta era desinteressante, sem vida e que sequer merecia ser estudado.

Mesmo com advertências em contrário, a curiosidade inata do ser humano como sempre prevaleceu. Desde então, várias organizações não apenas estão estudando Marte como, sobretudo, despendendo esforços para transportar os humanos até o planeta vermelho nas próximas décadas.

Os protagonistas da corrida espacial de Marte

Hoje, os principais players da “corrida espacial marciana” são os Estados Unidos, China e Emirados Árabes Unidos. Cada um deles tem estimativas diferentes para colonizar Marte.

Estados Unidos – a empresa de Elon Musk, SpaceX, almeja lançar definitivamente sua missão com tripulação à Marte até 2020. Já a NASA pretende levar humanos ao planeta vermelho até 2033. A agência espacial teve uma ajuda significativa na semana passada: o Presidente Donald Trump assinou uma lei para financiar a missão, autorizando o repasse de US$ 19,1 bilhões para o sucesso da missão.

China – lançará sua primeira sonda em Marte em 2020 para realizar a exploração em órbita e, em seguida, uma segunda missão para coleta de amostras de superfície marciana.

Emirados Árabes Unidos – anunciaram o projeto Mars 2117, com o objetivo de estabelecer o primeiro assentamento humano habitável no planeta vermelho daqui a 100 anos (meta de segurança).

Seres humanos em Marte?

O primeiro obstáculo, e talvez o maior até o momento, é chegar até Marte. Mas, supondo que os cronogramas se concretizem, o que acontecerá com os seres humanos quando chegarem ao planeta vermelho?

Um dos desafios de menor dificuldade talvez seja se adaptar ao “fuso horário”: o planeta vermelho, como lembra a engenheira espacial Nagin Cox, tem 40 minutos a mais:

Nosso dia na Terra tem 24 horas, porque este é o tempo que a Terra leva para fazer uma rotação. Marte leva 24 horas e aproximadamente 40 minutos para girar uma vez. Isso significa que o dia em Marte tem 40 minutos a mais do que na Terra. – Nagin Cox

Em síntese, outro grande desafio é sobreviver à temperatura. Como a atmosfera é fina, faz muito frio em Marte. A temperatura média é de -63 ºC. Logo, ao chegar lá, primeiro precisamos nos aquecer. O escritor Stephen Petranek acredita que uma forma eficaz de fazer isso seria aquecer os pólos sul e norte do planeta.

Ambas as extremidades são cobertas por uma quantidade significativa de dióxido de carbono congelado. Assim, uma vez aquecidas, poderiam sublimar diretamente para a atmosfera, engrossando-a, como acontece na Terra:

Minha forma favorita de fazer isso seria erguer um painel solar gigante e focá-lo para servir como um espelho, e focalizá-lo no polo sul de Marte primeiro. Quando o planeta girar, vai aquecer o gelo seco, sublimá-lo, e ele irá para a atmosfera. Não vai levar muito tempo para a temperatura de Marte começar a subir, provavelmente menos de 20 anos. – Stephen Petranek

Mesmo que consigamos aquecer o planeta, como vamos respirar?

A densidade da atmosfera de Marte é muito pequena – cem vezes menor do que a da Terra – e não é respirável (96% dióxido de carbono). Enfim, os cientistas ainda não estão certos de como vão resolver o problema. Mas, a princípio, usaremos trajes especiais.

Por falar em trajes, a cientista Dava Newman desenvolveu uma roupa espacial própria para a superfície marciana, para que possamos respirar, nos aquecer e nos protegermos da radiação (solar e de raios cósmicos):

seres humanos 01
Só para ilustrar: o traje espacial desenvolvido por Dava Newman (Fonte: TED)

Em resumo, poderemos voar em Marte? Como a gravidade de Marte é muito menor do que na Terra, seria possível pular por cima de um carro ao invés de contorná-lo e, com um par de asas, “flutuar” sobre a superfície do planeta.  

E o que iremos beber? O planeta vermelho é muito seco, e durante décadas não havia evidências de água em estado líquido (somente congelada). Isso até 2015, quando a NASA confirmou a existência de água (em estado líquido) na superfície marciana. Sendo a água a base de toda a vida que conhecemos, a descoberta foi um grande avanço.

Ainda falaremos muito sobre Marte

Os seres humanos que desejam viver em Marte deverão se preparar para lidar com tudo isso e muto mais. Deverão, em suma, se adaptar ao planeta – e não esperar que o planeta se adapte à presença humana. Transformá-lo em uma “segunda Terra” não parece ser algo viável. Ao menos agora.

Marte não é exatamente como a Terra. Mas, até o momento, é o lugar mais habitável em todo o sistema solar. Não há dúvida de que ainda falaremos muito sobre o planeta vermelho nos próximos anos – sobretudo agora, com a corrida espacial mais competitiva do que nunca.

Enfim, uma dúvida, acima de tudo, persiste: os seres humanos estarão preparados para Marte?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook