Ciência

Afinal, por que o ser humano ainda não conseguiu pousar em Marte?

De modo geral, as pessoas sempre demonstraram um certo ceticismo em relação à exploração espacial. Muitos sustentam que conhecer novos planetas é uma enorme perda de tempo e dinheiro. Outros afirmam até hoje que jamais conseguimos pousar na Lua – e que tudo não passou de uma “farsa” gravada em um estúdio de Hollywood.

Mas quem quer que tenha visto Neil Armstrong dar seu primeiro passo na superfície lunar, em 20 de julho de 1969, deve concordar que, ao menos por um instante, a Terra parou. Essencialmente, o pensamento que se sucedeu na mente das pessoas após aquela incompreensível façanha humana foi um só:

Se conseguimos ir até a Lua, podemos fazer qualquer coisa.

Para cientistas, engenheiros aerospaciais e pesquisadores, o caminho natural após a conquista seria pousar no planeta vermelho. No entanto, quase cinco décadas depois de ter a humanidade pousado na Lua, simplesmente – no auge dos avanços tecnológicos em vários campos – ainda não conseguimos pousar em Marte.

É bem verdade que a NASA tem explorado a superfície marciana com suas sondas. Também é verdade que, nos últimos anos, foram divulgadas diversas fotografias do planeta. As imagens chegaram a ser transformadas em um incrível curta-metragem pelo cineasta finlandês Jan Fröjdman (confira o vídeo aqui).

No entanto, por alguma razão, a humanidade ainda não conseguiu pousar no planeta vermelho.

Por que o ser humano ainda não conseguiu pousar em Marte?

De acordo com o escritor Stephen Petranek, a resposta é simples: porque nós simplesmente escolhemos não ir atrás dessa oportunidade. Conforme o autor do livro How We’ll Live on Mars (2015), o verdadeiro responsável por ainda não termos pisado em Marte foi presidente norte-americano Richard Nixon.

Ao invés de chancelar uma viagem para o planeta vermelho durante seu mandato (1969-1974), Nixon decidiu privilegiar o projeto do ônibus espacial. Na época, as agências militares acreditavam que ônibus espaciais seriam úteis para lançar e reparar satélites espiões, o que levou Nixon a sepultar de vez o plano para explorar Marte.

Se os Estados Unidos tivessem escolhido a viagem para Marte em vez do ônibus espacial, provavelmente hoje teríamos uma base permanente lá. – Stephen Petranek

Mesmo que Nixon tenha sido o verdadeiro responsável, devemos reconhecer que ele é apenas um dos motivos por ainda não termos pousado em Marte. Na verdade, o buraco é mais embaixo. Do contrário, já teríamos conquistado muito mais do que fotografias da superfície marciana.

Seremos capazes de sobreviver em Marte?

Muitas pessoas não acreditam que algum dia poderemos realmente pousar em Marte. A própria NASA sempre defendeu a ideia de que precisamos primeiro montar uma base na Lua para aprimorarmos nossa experiência antes de tentar pousar na superfície marciana.

A verdade é que a perspectiva de pousar em Marte envolve uma série de desafios. Em síntese, a humanidade deverá encontrar cinco recursos para assegurar sua sobrevivência como uma espécie interplanetária: água, comida, abrigo, vestimenta e oxigênio.

Em síntese, analisaremos a seguir cada um deles, com base nas considerações de Stephen Petranek.

1. Água

Sem dúvida, a água é o recurso mais precioso para que os humanos possam sobreviver em Marte. Mas existe água em Marte? As sondas espaciais da NASA descobriram que há água em Marte. Contudo, a água existente no planeta não está em seu estado líquido, mas sim congelada no solo marciano (chamado de regolito).

Então, como faremos? Em síntese, os cientistas propõem duas soluções para o problema.

A primeira seria aquecer os pólos sul e norte do planeta, por meio de painéis solares gigantes. Como ambas as extremidades são cobertas por uma quantidade significativa de dióxido de carbono congelado, uma vez aquecidas poderiam sublimar diretamente para a atmosfera. Mas aquecer o planeta inteiro levaria em torno de 20 anos.

A segunda solução seria escavar a superfície congelada, na expectativa de encontrar água em estado líquido. Contudo, a mistura congelada poderia ser tão impenetrável que exigiria uma britadeira ou outra máquina ainda mais eficaz para a escavação. E teríamos de levar os equipamentos certos para evitar “perder a viagem”.

pousar água
Se Marte não tiver a quantidade de água que imaginamos, não teremos como viver lá

Se nenhuma das soluções funcionar, teríamos que instalar fornos para aquecer o regolito até que o gelo evaporasse. Após, o regolito (em estado líquido) deveria ser destilado e filtrado para, somente então, virar água potável. Além de muito desperdício no início, todo esse processo demandaria muita energia.

Finalmente, se o planeta vermelho não tiver a quantidade de água que imaginamos, não teremos como viver lá. E, infelizmente, não há como levar água da Terra: ela é muito pesada para ser transportada de nosso planeta.

2. Comida

Um requisito essencial para a sobrevivência humana em Marte é a comida. Como criar animais no planeta será inviável no começo, os colonizadores, gostem ou não, serão vegetarianos. Em síntese, plantar qualquer semente em Marte envolve superar duas questões: solo e gravidade.

Em relação ao solo, embora os cientistas tenham demonstrado que o regolito marciano é propício para plantar, os colonizadores poderão ter dificuldades em realizar a tarefa. Dependendo da região escolhida, o solo marciano poderá ser ácido ou alcalino demais, o que exigiria tratamento e adição de nutrientes.

pousar planta
Os colonizadores, gostem ou não, serão vegetarianos

Em relação à gravidade, os cientistas recentemente descobriram que as plantas crescem em gravidade zero, mas não sabem se o mesmo acontecerá na gravidade marciana, que é aproximadamente três vezes menor que a da Terra.

Uma solução possível para ambos os problemas seria o cultivo hidropônico, plantando sementes em água rica em nutrientes, sem a necessidade do solo. Mas, para que isso aconteça, os colonizadores deverão primeiro resolver o problema da água. Não apenas a água deverá estar disponível, como deverá ser mantida em estado líquido.

3. Abrigo

Os humanos precisarão de abrigo para sobreviver no ambiente marciano. Nos primeiros dias, o ambiente hostil de Marte exigirá construções infláveis para que os colonizadores possam se proteger dos tipos de radiação existentes: solar e cósmica. Petranek explica um pouco sobre cada uma delas:

A radiação solar é aquela que sentimos na praia com queimaduras do sol – são partículas energizadas do Sol que penetram a atmosfera da Terra. Os raios cósmicos vêm de fontes misteriosas além do nosso sistema solar e têm energia muito maior e por isso bem mais perigosa. – Stephen Petranek

pousar abrigo
Existem dois tipos de radiação em Marte: solar e cósmica

Construções, cavernas e fissuras serão fundamentais nos primeiros dias dos colonizadores. Contudo, elas não serão uma solução permanente para que a humanidade possa permanecer em Marte. Caberá aos humanos desenvolver novas estratégias de proteção para as radiações, a partir da experiência adquirida no planeta.

4. Vestimenta

Embora o abrigo seja importante, os seres humanos deverão ainda usar roupas especiais para se proteger das radiações (solar e cósmica) e, acima de tudo, do frio marciano. A atmosfera do planeta vermelho é fina, e a temperatura média é de – 63ºC. Realmente, faz muito frio em Marte.

pousar vestimenta
A temperatura média no planeta vermelho é de – 63ºC

Além disso, a pressão atmosférica de Marte equivale a menos de 1 centésimo da terrestre. Nenhum humano conseguiria viver por muito tempo sem roupa pressurizada (para reproduzir a pressão interna do corpo). A menos que se esteja em ambiente pressurizado, a única solução seria usar a roupa pressurizada o tempo todo.

5. Oxigênio

Haverá um momento em que os colonizadores irão cansar de usar máscaras para respirar e de ficar monitorando os níveis de oxigênio. Quando isso acontecer, deverão pensar na possibilidade de tornar respirável a atmosfera do planeta vermelho. Oxigenar a atmosfera marciana é, sem dúvida, um dos maiores desafios.

A verdade é que ainda não dispomos de toda a tecnologia necessária para criar uma atmosfera respirável em Marte. As estratégias apresentadas por cientistas para oxigenar o planeta são incompletas e imprecisas. Mesmo as hipóteses mais otimistas para transformar a atmosfera marciana estimam um prazo de centenas de anos.

pousar ar
Ainda não temos tecnologia necessária para criar uma atmosfera respirável em Marte

Para resolver o problema do oxigênio, os cientistas estão apostando na evolução do conhecimento humano. Estamos aprendendo todo dia algo novo sobre Marte. Daqui a 100 anos, nosso conhecimento geral terá se multiplicado e teremos então muito mais ideais para estabelecer uma atmosfera respirável no planeta.

Nossa habilidade em projetar formas de vida vem aumentando rapidamente. Estamos ficando cada vez mais espertos. Basta comparar com o que sabíamos de química e biologia há trezentos anos, no começo dos anos 17000. Agora tente imaginar o que saberemos daqui a trezentos anos, no começo dos anos 2300. A maior parte do que conhecemos hoje parecerá ultrapassada. – Stephen Petranek

Reconstruindo Marte à imagem da Terra

Como sobreviver em um ambiente tão inóspito como Marte? Em síntese, deveremos redesenhar todo o planeta para torná-lo mais parecido com a Terra. Esse processo se chama terraformação e pode levar séculos para terminar. Mas muitos cientistas acreditam que poderá ser feito.

Como o custo será extremamente alto, a agilidade do processo de terraformação de Marte dependerá de quanto dinheiro estivermos dispostos a investir no processo. Se investirmos pouco, poderá levar milhares de anos até que os homens possam andar na superfície marciana tal como andam na superfície terrestre. Se investirmos muito, poderemos terraformar o planeta em décadas.

De todo modo, desde que Elon Musk revelou seus planos para levar humanos até Marte, em setembro de 2016, pessoas de todo o planeta entraram em êxtase com a possibilidade de nos transformarmos em uma espécie interplanetária no futuro.

Ao que tudo indica, Marte se tornará a nova fronteira. Em suma, a nova esperança e o novo destino para milhões de pessoas. E muitas delas farão de tudo para aproveitar as oportunidades que o planeta vermelho oferece. Como conclui Petranek,

O momento em que os primeiros seres humanos pisarem em Marte será mais importante do que qualquer em termos de tecnologia, filosofia, história e exploração… não seremos mais uma espécie de um só planeta. – Stephen Petranek

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook