Tecnologia

Nova roupa inteligente detecta quando você está suado

Temos novidade no ar: uma roupa inteligente detecta quando você está suado! Confira mais detalhes a seguir:

Quem gosta de roupa grudada no corpo?

Praticar exercícios físicos não apenas faz bem à nossa saúde, como nos traz uma sensação de bem-estar, conforto e alegria. Mas um aspecto não tão agradável da prática de exercício é, sem dúvida, o suor em excesso. De modo mais específico: aquela sensação desconfortável de estar com a roupa “grudada” no corpo.

Sem dúvida, a experiência será melhor ou pior conforme a roupa que escolheremos para praticar a atividade física. Porém, por mais confortáveis que sejam, a maior dos trajes esportivos tendem a nos deixar “ensopados” em poucos minutos – e particularmente ansiosos para tomar um banho gelado.

A boa notícia é que um grupo de pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT), em Cambridge (Massachusetts), nos Estados Unidos, parece ter encontrado a solução definitiva para deixar nossos exercícios físicos mais confortáveis e menos encharcados: roupas “respiráveis” inteligentes.

Roupa inteligente

Denominado bioLogic, o projeto consiste essencialmente em roupas de treino com abas (ou “buracos”) de ventilação. As abas funcionam como uma espécie de persiana, abrindo parcialmente para liberar a entrada de ar. Ao constatar que o atleta está com o corpo quente, elas se abrem; ao perceber que o corpo do atleta esfriou, elas se fecham.

roupa tecido
Só para ilustrar: as abas se contraem e se expandem de acordo a temperatura corporal

O sistema permite que o ar circule no interior da roupa inteligente, diminuindo a temperatura e, consequentemente, o suor. As abas de ventilação são ativadas a partir de 5 minutos de exercício intenso, como demonstraram testes iniciais.

Mas o aspecto mais curioso é que o sensor da roupa inteligente não é eletrônico. Quem comanda a abertura dos buracos é, na verdade, uma bactéria – ou, melhor dizendo, um conjunto de células microbianas vivas.

As células que os pesquisadores usaram correspondem à cepa não patogênica mais comum da bactéria Escherichia coli (E. coli). As células microbianas foram cultivadas, colhidas e impressas (bio-impressão) em folhas de látex para, então, ser projetadas nas abas de ventilação do traje.

roupa abas
Em síntese, a roupa inteligente é composta por células microbianas vivas

Outras aplicações

Conforme Wen Wang, uma das autoras do estudo, seria possível modificar geneticamente as bactérias para usá-las em outras aplicações. Além de fazer seus exercícios com menos calor, seria possível criar uma roupa que brilha no escuro até mesmo imune a odores desagradáveis.

No futuro, podemos combinar funcionalidades liberadoras de odor através da engenharia genética. Então, talvez depois de ir à academia, a camisa poderia liberar um cheiro agradável. – Wen Wang

Atualmente, a equipe está procurando colaborar com empresas de roupas esportivas para comercializar seus projetos e também está explorando outros usos, incluindo cortinas, abajures e lençóis.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook