Ciência

Afinal, quanto irá custar uma passagem até Marte?

Muitos especialistas acreditam que, para garantir a sobrevivência de nossa espécie, devemos investir esforços para nos tornar seres interplanetários. No final de 2016, o renomado físico Stephen Hawking referiu que a humanidade tem um século até o fim do mundo e precisa sair da Terra antes que o pior aconteça.

Em maio de 2017, Hawking mudou sua previsão afirmando que temos apenas 100 anos para nos mudar para outro planeta. O físico explicou que nossos dias na Terra estão contados em virtude das mudanças climáticas, epidemias e da superpopulação. Para ele, a única maneira de sobreviver seria colonizarmos outro planeta  e rápido.

Da mesma forma, o cosmólogo e astrônomo real britânico Martin Rees argumenta que a humanidade está criando a sua própria morte e, consequentemente, a do cosmos. Em seu livro Our Final Hour (2013), Rees mapeia as maneiras pelas quais a tecnologia poderá destruir nossa espécie nas próximas décadas.

Se as previsões de Hawking e Rees realmente irão se concretizar, é muito cedo para dizer. Talvez até lá tenhamos aprendido mais sobre os problemas que nos afetam. E encontrado alternativas para garantir a nossa sobrevivência na Terra. Mas, se temos outras “cartas na manga”, por que não utilizá-las?

É dizer: se temos a tecnologia necessária para explorar novos planetas, por que não deveríamos tentar colonizar Marte? Por que correr o risco e depender somente dos recursos terrestres? Em síntese, como questiona Rees:

Quando o que está em risco é nosso futuro, quem é capaz de decidir qual risco pode ser considerado aceitável? – Martin Rees

Muitos não querem correr este risco e esperar para ver o que irá acontecer. Elon Musk é um deles.

A visão de Elon Musk

Em setembro de 2016, Musk apresentou seus planos para levar os seres humanos a Marte, durante uma exposição no International Astronautical Congress, em Guadalajara, México. Na ocasião, disse que ir a Marte não é apenas uma escolha, mas uma necessidade (a palestra foi depois adaptada em forma de artigo):

Nós permaneceremos na Terra para sempre e eventualmente haverá um evento de extinção. A alternativa é nos tornarmos uma espécie espacial e multiplanetária. É o que queremos. – Elon Musk

até musk
Para Elon Musk, ir a Marte não é uma escolha, mas uma necessidade (Crédito: Bloomberg)

Musk enfatizou que, embora hoje tenhamos a tecnologia necessária para chegar a Marte, ainda não temos a capacidade tecnológica para construir uma civilização que possa se manter no planeta vermelho. Os custos atuais para levar humanos até lá giram em torno de US$ 10 bilhões por pessoa, o que é completamente inviável.

Você não pode criar uma civilização autossustentável se o preço do ingresso for de US$ 10 bilhões por pessoa. – Elon Musk

O CEO da SpaceX disse que a acessibilidade é um fator importante para viabilizar a colonização de Marte. Por isso, entende que a única maneira de criar uma sociedade autossustentável no planeta vermelho é tornando nossas tecnologias economicamente viáveis, pois asseguraria que as pessoas realmente pudessem se mudar para lá.

Mas como exatamente fazer isso?

Garantindo a acessibilidade

Elon Musk descreve os quatro passos que considera essenciais para reduzir os custos da missão: 

1) Transportes totalmente reutilizáveis: A SpaceX já está desenvolvendo foguetes que podemos usar de novo e de novo. A empresa já demonstrou que seus foguetes reutilizáveis são de confiança com o sucesso do lançamento da nave espacial Dragon em sua segunda missão para a International Space Station.

2) Recarga/reabastecimento em órbita: Equipar qualquer embarcação com combustível adicional aumentará significativamente o peso da embarcação, o que prejudicaria a viagem. Musk acredita que módulos de abastecimento em órbita serão fundamentais, bem como uso de metano (produzido em Marte) para a recarga das aeronaves.

3) Produção de propulsores em Marte: É necessário aproveitar a energia do planeta vermelho.

4) Propelente em funcionamento: São necessários métodos de viagem melhores e mais eficientes.

até marte
A acessibilidade é um fator importante para viabilizar a colonização de Marte (Crédito: SpaceX)

Quanto irá custar a passagem até Marte?

Reduzir os custos projetados exige tempo e investimento de longo prazo, mas Elon Musk acredita que é plenamente viável. As tecnologias estão crescendo de forma exponencial, o que consequentemente reduzirá os custos para que todos possam acessá-las. O mesmo vale para a exploração espacial.

Musk pretende reduzir o custo médio da passagem de US$ 10 bilhões para US$ 200 mil por pessoa. Este valor, aliás, não foi escolhido à toa  equivale ao preço médio de uma casa nos Estados Unidos. Para o CEO da SpaceX, é justo que as pessoas possam pagar por sua nova morada em Marte o mesmo que pagariam por uma casa no país.

A declaração soou como esperança para muitos. Alcançar esse preço através do uso de “métodos tradicionais” para viagens espaciais seria impossível, mas, com a redução de custos sugerida por Musk, tudo indica que será viável chegar a uma viagem com um custo de até US$ 200 mil dólares por pessoa, em naves para 100-200 passageiros.

Por mais visionárias  e muitas vezes absurdas  que sejam as ideias de Elon Musk, o empreendedor vem provando ser capaz de atingir seus objetivos. E o cronograma evolutivo da SpaceX é, sem dúvida, um fator importante a ser considerado:

até spacex
Só para ilustrar: as conquistas da SpaceX na última década (Crédito: SpaceX)

Estamos no início de uma encruzilhada emocionante para a humanidade. Ao que tudo indica, em um futuro não tão distante, nos tornaremos uma espécie interplanetária e seremos transformados para sempre.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook