Negócios

O papel do estrategista digital

O mercado como conhecemos tem sido alterado por fatores exógenos, como a adoção da nova Legislação Européia de Regulação da Proteção de Dados (GDPR), que aborda a questão da privacidade no ambiente digital, assim como por mudanças de comportamento dos usuários em relação a esse tema e maior conscientização em relação ao uso de seus dados por terceiros.

A maior mudança que a nova legislação européia trouxe foi nos termos de serviço de diversos serviços online, que agora pedem explicitamente o consentimento do usuário, para que os mesmos continuem a serem prestados.

A entrada em vigor dessa legislação ocorrida em 25 de maio de 2018 e seus efeitos serão sentidos globalmente, pois servirá de base para os demais países que ainda não tenham nada parecido em termos de legislação de privacidade e de regulação quanto ao uso de dados de usuários por empresas.

Alguns serviços online fazem o uso do Nudge, que é o consentimento de forma implícita, no qual, se o usuário não tomar nenhuma ação, automaticamente ocorre o consentimento. É o chamado opt-out obrigatório, em que a pessoa tem de explicitamente solicitar sua exclusão do serviço.

No opt-in obrigatório, ocorre explicitamente o consentimento do usuário na adesão dos termos de serviço, no caso de serviços de empresas online. O ato explícito é um ato de vontade (discricionário) em que a pessoa clica em algum botão para incluir e/ou excluir a sua adesão ao serviço.

O estrategista digital

Estrategistas e Consultores que atuam com Transformação Digital, Cientistas de Dados e Gestores nas Empresas devem prestar atenção em como formatar e/ou adaptar um serviço prestado online e/ou que trabalhem com dados de usuários para essa nova realidade, para garantir a anonimização das informações utilizadas, fazendo sempre uso de Consultorias Especializadas em Privacidade, Segurança e Direito Digital quando e onde forem necessárias, como, por exemplo, no auxílio para redigir os termos de serviços da empresa, adaptar contratos existentes e na realização de estudos de levantamento, gerenciamento e mitigação de riscos para a empresa.

digital 01
O mercado como conhecemos tem sido alterado por fatores exógenos (Crédito: Shutterstock)

Pois, para o processo de Transformação Digital ser bem conduzido, além de haver um forte trabalho de construção de uma cultura orientada por dados, devem ser consideradas a disrupção e a melhoria dos processos existentes, a reeducação contínua das pessoas (stakeholders) e também um quarto pilar que é a preocupação com a segurança da informação, que tradicionalmente envolvem os fatores confidencialidade, integridade e disponibilidade da informação utilizada.

No que se refere à área de segurança da informação e num mundo inundado por Fake News disparadas por perfis falsos e bots, um quarto elemento também passou nos últimos anos a ter relevância, que é a veracidade da informação utilizada.

Enfim, todo esse processo exige uma constante atualização dos profissionais que atuam direta ou indiretamente com dados, o que, no final, impacta diretamente na estratégia da organização, que deve ser repensada para atender as novas diretrizes e adotar as melhores práticas da área.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Renato Azevedo Sant'Anna

Renato Azevedo Sant'Anna trabalha como Estrategista Digital / Consultor de Insights & Data Intelligence. Graduado em Engenharia da Computação e MBA Analytics em Big Data pela FIA e MBA em Marketing pela FGV. Tem experiência com Inteligência de Negócios em canais digitais desde 2011.

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook

Leia também

Fechar