Ciência

NASA irá lançar, nesta semana, uma sonda com destino ao Sol

A NASA está se preparando para lançar, nesta semana, uma missão que poderá revolucionar nossa compreensão do Sol. A sonda Parker Solar Probe será a primeira espaçonave a orbitar a coroa solar, a atmosfera estendida externa do Sol, e tem potencial para solucionar três dos maiores mistérios da ciência.

Com destino ao Sol

Ao se despedir da Terra, a sonda irá circular em torno de Vênus – em uma manobra chamada gravidade assistida. A manobra irá desacelerar a espaçonave e controlar cuidadosamente sua aproximação ao Sol. A primeira aproximação da Parker Solar Probe com o astro-rei deverá ocorrer em 5 de novembro.

A sonda, então, iniciará um cronograma de 24 órbitas, com duração de sete anos. A cada órbita, irá gradualmente se aproximar mais do Sol. Em 2025, a espaçonave chegará a 6 milhões de quilômetros da superfície do Sol. Em síntese, tão perto que a sonda realmente voará através da atmosfera escaldante (coroa).

Os engenheiros  da NASA esperam que a espaçonave sobreviva ao calor por muitos anos. Tudo isso graças ao poderoso escudo construído especialmente para a sonda. Além de proteger a sonda do calor, o escudo alivia o peso da espaçonave e mantém os instrumentos a bordo a uma temperatura segura.

Desvelando os mistérios do Sol

Durante as órbitas, os instrumentos a bordo poderão resolver três dos maiores mistérios da ciência. Em resumo, os cientistas desejam entender mais sobre a coroa solar (a atmosfera estendida externa do Sol), o vento solar (a emissão contínua de partículas provenientes da coroa solar) e as chamadas ejeções de massa coronal.

Só para ilustrar: as respostas podem ser fundamentais para que os cientistas compreendam como as estrelas além do nosso sistema solar funcionam. Além disso, as descobertas da Parker Solar Probe também poderão ajudar especialistas a entender e prever os riscos de se viver perto de uma estrela.

sol 01
Em suma, os instrumentos da sonda poderão resolver três dos maiores mistérios da ciência (Crédito: NASA)

Leia também:

  • NASA estende a missão espacial Juno até 2021 (aqui)
  • NASA planeja enviar helicóptero a Marte em 2020 (aqui)
  • NASA planeja construir estação de pesquisa flutuante para estudar Vênus (aqui)

Em apenas uma semana

A missão estava inicialmente programada para ocorrer em 31 de julho. Contudo, o lançamento teve de ser adiado em virtude de teses adicionais de software e um problema na sonda. Em síntese, os engenheiros da NASA encontraram um pedaço de espuma dentro do “nariz” da sonda.

Se tudo correr conforme o planejado, a sonda decolará a bordo de um foguete Delta Launch Alliance, da United Launch Alliance, no início da manhã de 11 de agosto. Enfim, interessados poderão acompanhar o lançamento na transmissão oficial da NASA. A janela de lançamento inicia às 7:45 (Horário de Brasília).

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook