Ciência

NASA começa a construir o novo rover Mars 2020

A NASA iniciou oficialmente a fase de montagem e testes do Mars 2020, o próximo rover que será enviado a Marte. O novo veículo explorador ficará encarregado de procurar sinais de vida microbiana, estudar a geologia do planeta vermelho e avaliar os riscos de futuras missões com humanos.

Embora os sistemas de propulsão tenham sido recentemente instalados, ainda há diversos subsistemas pendentes, tais como navegação, comunicação e energia. Para cumprir o prazo em tempo hábil, engenheiros e técnicos da agência espacial estarão trabalhando no rover durante os próximos 18 meses.

O design do novo rover é bastante similar ao seu antecessor Curiosity, construído pelo Mars Science Laboratory e lançado em 26 de novembro de 2011. Assim como predecessor, o Mars 2020 terá um corpo retangular, seis rodas, um braço, uma mão, câmeras, instrumentos e uma broca para coletar amostras de rochas.

rover 01
O novo rover está sendo construído no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA (Crédito: NASA)

Aproximadamente 85% da massa do novo veículo explorador é baseada no “hardware histórico” do rover Curiosity. Segundo Jim Watzin, Diretor do NASA’s Mars Exploration Program, a adoção de um modelo semelhante reduz custos e, principalmente, diminui os riscos envolvidos durante a missão.

O fato de grande parte do hardware já ter sido projetado – ou mesmo já existir – é uma grande vantagem para esta missão. Isso nos economiza dinheiro, tempo e, acima de tudo, reduz o risco. – Jim Watzin

rover 02
O design do Mars 2020 é bastante similar ao seu antecessor Curiosity (Crédito: NASA)

O novo rover não apenas irá explorar Marte como também irá trazer um pouco do planeta à Terra. O veículo pretende pesquisar ambientes habitáveis, procurar sinais de vida microbiana e armazenar todas essas amostras em cache. Os dados serão, então, devolvidas à Terra em uma futura missão espacial.

O veículo será equipado com um conjunto de instrumentos de ponta. Dentre eles, um espectrômetro de raios-X, um laser ultravioleta e um radar de penetração no solo. Com os instrumentos, será possível procurar bioassinaturas em escala microbiana e mapear as camadas de rocha, água e gelo até 10 metros de profundidade.

Nossos próximos instrumentos serão baseados no sucesso do Mars Science Laboratory, que foi um campo de testes para novas tecnologias. Eles coletarão dados científicos de maneiras que não eram possíveis antes. – George Tahu (Executivo do Programa Mars 2020).

Em síntese, os principais objetivos do Mars Rover 2020 são: avaliar a geologia do local de pouso em Marte; determinar a habitabilidade do ambiente marciano; procurar sinais de vida passada; estudar os recursos naturais existentes no planeta; e avaliar os riscos de futuras missões com humanos.

A nova missão está programada para decolar de Cape Canaveral, na Flórida, em julho de 2020 – período no qual Terra e Marte estarão em “oposição”. Será o momento em que ambos os planetas estarão quase que perfeitamente alinhados, reduzindo o tempo e a energia necessários para concluir a missão.

O pouso deverá ocorrer em fevereiro de 2021. Uma vez em Marte, o veículo lá permanecerá por, pelo menos, um ano marciano – o equivalente a 687 dias terrestres. Se tudo correr bem, é provável que Mars 2020 realize ainda a primeira tentativa de oxigenar a atmosfera marciana. Aguardemos os próximos capítulos.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook