Ciência

NASA revela planos para lançar uma de suas mais ousadas missões a Marte

A NASA está a poucos meses de lançar uma de suas mais ousadas missões a Marte. Ao contrário das iniciativas anteriores, que se limitaram a examinar características como cânions, vulcões e rochas, a missão InSight pretende descobrir, de uma vez por todas, o que se passa sob a superfície marciana.

Embora a NASA tenha realizado dezenas de viagens a Marte desde a década de 1960, sendo mais de uma dúzia delas bem-sucedidas, InSight (acrônimo para Interior Exploration using Seismic Investigations, Geodesy and Heat Transport) será a primeira missão a explorar a fundo o planeta vermelho.

Segundo a agência espacial norte-americana, a missão InSight é uma tentativa de explorar uma das questões mais fundamentais da ciência: entender os processos que moldaram os planetas rochosos do sistema solar, incluindo a Terra, a quatro bilhões de anos atrás.

Com instrumentos geofísicos sofisticados, o lander mergulhará profundamente sob a superfície, detectando os processos de formação de Marte e medindo seus “sinais vitais”. Em síntese, a missão pretende estudar a estrutura e a composição do planeta vermelho, bem como sua atividade tectônica.

O cronograma da missão da NASA

1) Lançamento – InSight está programada para ser enviada a Marte em maio de 2018, nas primeiras horas do amanhecer. O lander será lançado a partir da Base da Força Aérea de Vandenberg, na Califórnia (EUA), a bordo do Atlas V-401, um dos maiores foguetes disponíveis para voos interplanetários.

NASA 01
InSight está programado para ser enviado a Marte em maio de 2018 (Crédito: NASA)

2) Cruzeiro – O tempo entre o lançamento e a chegada da InSight ao planeta vermelho é denominado fase de cruzeiro. A distância entre a Terra e Marte, dentro da janela de lançamento escolhida pela NASA, será de 485 milhões de quilômetros. Nestas condições, a viagem levará em torno de seis meses.

NASA 02
A fase de cruzeiro começa logo após a separação do veículo de lançamento no espaço (Crédito: NASA)

3) Aproximação – Para garantir que o pouso seja bem-sucedido, os engenheiros da NASA iniciam preparativos intensivos durante a fase de aproximação, cerca de 60 dias antes da nave espacial entrar na atmosfera marciana. Os preparativos envolvem manobras de correção de trajetória e check-out dos instrumentos.

NASA 03
A fase de aproximação inicia cerca de 60 dias antes da entrada na atmosfera marciana (Crédito: NASA)

4) Pouso A fase Entry, Descent and Landing (EDL) começa quando a nave espacial atinge a atmosfera marciana, cerca de 128 quilômetros acima da superfície, e termina com o pouso no planeta vermelho seis minutos depois, quando então o lander é entregue com segurança à superfície.

NASA 04
A fase (EDL) começa quando a nave espacial atinge a atmosfera marciana (Crédito: NASA)

5) Exploração Uma vez concluída a aterragem em Marte, a InSight levará em torno de 10 semanas para instalar os instrumentos na superfície de Marte. Após o período, o lander ficará imóvel e coletará dados dos instrumentos. A missão terá a duração de um ano marciano (708 sóis), o equivalente a 2 anos na Terra.

NASA 05
A missão terá a duração de um ano marciano, o equivalente a 2 anos na Terra (Crédito: NASA)

Marte como nunca antes visto

Para medir os tremores do solo, o lander instalará um sismômetro hipersensível desenvolvido pela agência espacial francesa Centre National d’Etudes Spatiales. Já para medir a temperatura da superfície, será implantado uma sonda de fluxo de calor fabricada pelo Centro Aeroespacial Alemão.

A missão pretende estudar o tamanho, espessura, densidade e estrutura geral do núcleo, manto e crosta de Marte, bem como a taxa em que o calor escapa do interior do planeta. Tanto o sismômetro quanto a sonda são de altíssima qualidade e contribuirão para compreender como o planeta foi criado.

Missões anteriores a Marte investigaram a história superficial do planeta vermelho examinando características como cânions, vulcões, rochas e solo, mas ninguém tentou investigar a primeira evolução do planeta – seus blocos de construção – que só pode ser encontrado ao olhar fundo abaixo da superfície. – NASA

Os instrumentos poderão também ajudar a NASA a descobrir onde há gelo e, ainda, se existe água em estado líquido sob a superfície marciana, informações que serão úteis para a construção de futuros habitats. Em síntese, a missão InSight oferecerá novas perspectivas sobre o planeta vermelho:

Nós vimos menos de 1% de Marte. O que vamos fazer agora é olhar sob o capô. Vamos ver o resto de Marte, o outro 99,9% nunca antes visto. – Sue Smrekar (investigadora principal da InSight)

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook