Ciência

NASA revela planos para enviar helicóptero a Marte em 2020

No último sábado, a NASA lançou a tão aguardada missão InSight, com o objetivo de descobrir o que se passa sob a superfície de Marte. A decolagem do gigantesco foguete Atlas V-401 foi considerada um sucesso, transportando ao espaço um lander com instrumentos geofísicos de altíssima qualidade.

Enquanto o lander se desloca até o planeta vermelho – com previsão de chegada em 26 de novembro de 2018 –, a agência estadunidense está planejando uma missão igualmente ambiciosa, chamada Mars 2020. A iniciativa almeja enviar um novo rover a Marte, para avaliar os riscos de futuras missões com humanos.

Os novos planos da NASA

Embora já tenha iniciado oficialmente a fase de montagem e testes do rover, a NASA, por meio de seu Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), decidiu agora incluir um helicóptero autônomo na missão. O objetivo é demonstrar se veículos mais pesados que o ar são capazes de voar na atmosfera marciana.

É apropriado que os Estados Unidos da América sejam a primeira nação na história a produzir as primeiras embarcações mais pesadas que o ar em outro mundo. Essa conquista excitante e visionária inspirará jovens de todos os Estados Unidos a se tornarem cientistas e engenheiros, abrindo caminho para descobertas ainda maiores no futuro. – Jim Bridenstine (Administrador da NASA)

Pesando apenas 1,8 kg, Mars Helicopter Scout (MHS) será equipado com todos recursos necessários para operar em Marte, incluindo células solares para carregar suas baterias de íon de lítio, um mecanismo de aquecimento contra as noites frias de Marte e hélices contra-rotativas girando a 3.000 r.p.m.

NASA 01
O helicóptero será equipado com todos recursos necessários para operar em Marte (Crédito: NASA/JPL)

O recorde de altitude de um helicóptero voando aqui na Terra é de cerca de 40.000 pés. A atmosfera de Marte é apenas um por cento da da Terra, então quando nosso helicóptero está na superfície marciana, já está no equivalente a 100.000 pés de altitude. Para fazê-lo voar com essa baixa densidade atmosférica, tivemos que examinar tudo, torná-lo o mais leve possível, sendo tão forte e tão poderoso quanto possível. – Mimi Aung (Gerente de projeto do Mars Helicopter no JPL)

O HMS será inicialmente conectada à “barriga” do rover Mars 2020. Uma vez na superfície marciana, o veículo terrestre encontrará um local adequado para “desdobrá-lo” e colocá-lo no chão. Concluído o procedimento, o rover se afastará do helicóptero e passará, então, a transmitir os comandos da NASA.

Depois que as baterias do HMS estiverem carregadas, os controladores na Terra comandarão a aeronave para iniciar seu voo. No entanto, como existe um enorme delay na comunicação entre Marte e a Terra, não é possível pilotar, em tempo real, o helicóptero, que deverá voar por conta própria.

Nós não temos um piloto e a Terra estará a vários minutos de distância, então não há como usar um joystick nessa missão em tempo real. – Mimi Aung (Gerente de projeto do Mars Helicopter no JPL)

O MHS é considerado pela NASA um projeto de alto risco e alto retorno. Se não funcionar, a missão Mars 2020 não será afetada. Contudo, se o plano funcionar, novos helicópteros poderão explorar locais não acessíveis por veículos terrestres e abrir caminhos para descobertas ainda maiores no futuro.

A ideia de um helicóptero voando pelos céus de outro planeta é emocionante. O helicóptero da [missão] Mars [2020] é muito promissor para nossas futuras missões científicas, de descoberta e exploração em Marte. – Jim Bridenstine (Administrador da NASA)

Mars 2020 deve ser lançado em julho de 2020 no foguete Atlas V, a partir da Base da Força Aérea de Vandenberg (Califórnia, EUA). A missão está prevista para atingir o planeta vermelho em fevereiro de 2021.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook