Cultura

O mundo está melhor – e vai melhorar mais

O mundo está melhor – e vai melhorar mais. Max Roser, o economista de Oxford por trás do Our World in Data, dedicou sua carreira a espalhar uma visão estatisticamente embasada do desenvolvimento global.

Os gráficos mostram como as coisas realmente mudaram ao longo da história, ele diz, e você verá que nós percorremos um longo caminho.

Em 2016, Roser postou um comentário no twitter sobre os últimos dois séculos de evolução. Ele resume o progresso mundial com os seis gráficos a seguir:

mundo 01
Clique para ampliar

A pobreza extrema entrou em colapso. A educação básica e a alfabetização explodiram. A democracia – medida pelo Polity IV status – se espalhou rapidamente pelo mundo. A vacinação contra alguns dos piores assassinos da história humana tornou-se quase universal. A mortalidade infantil desmoronou.

É difícil pensar em algo que os pessimistas possam argumentar para contradizer essas tendências.

Embora não haja garantia de que continuaremos progredindo, a humanidade está melhor do que nunca para lidar com problemas, diz Roser.

‘Resolver problemas – grandes problemas – é sempre um empreendimento colaborativo’, ele escreve, ‘e a quantidade de pessoas que é capaz de trabalhar em conjunto hoje é um grupo muitas vezes maior do que já houve em qualquer época neste planeta’.

Por que importa que o mundo esteja melhor do que nunca? Porque a maioria das pessoas pensa que ele não está.

Rosling cita uma pesquisa onde as pessoas foram perguntadas se elas achavam que o mundo estava melhorando, piorando, ou nenhum dos dois. Apenas 6% dos americanos disseram que o mundo estava melhorando (este número foi 4% na Alemanha e 10% na Suécia).

Outra pesquisa, parte do Gapminder’s Ignorance Project, descobriu que 66% dos americanos acham que a pobreza global quase dobrou nos últimos 20 anos; Na verdade, a pobreza global diminuiu quase pela metade.

Você poderia culpar a mídia por se concentrar no negativo, ou simplesmente responsabilizar as pessoas pela tendência a reclamar; de uma forma ou de outra, um mal-entendimento fundamental dos assuntos globais está generalizado.

Roser diz que essa desconexão está limitando nossa capacidade de lidar com desafios futuros (por exemplo: eliminação da pobreza, aumento da liberdade e proteção ao meio ambiente).

‘A forma que falamos a nós mesmos sobre a nossa história e o nosso tempo é importante’, escreve Roser. ‘Saber que nós percorremos um longo caminho para melhorar as condições de vida, e a noção de que nosso trabalho vale a pena, significa para todos nós como sociedade o mesmo que o auto-respeito significa para os indivíduos. É uma condição necessária para o auto-aperfeiçoamento.’

Roser diz que o pessimismo também é um obstáculo à liberdade.

‘A liberdade é impossível sem a fé no povo livre’, escreve ele. ‘E se não estamos conscientes de nossa história e acreditamos equivocadamente no oposto do que é a verdade, corremos o risco de perder a fé uns nos outros.’

Vinicius Soares: Os avanços científicos e tecnológicos tem se mostrado fatores críticos de sucesso para o alcance dos números exibidos nestes gráficos. Isto posto, se estamos vivendo um momento de crescimento exponencial, é de se esperar que incrementos ainda mais significativos sejam conquistados, o que reforça a percepção que uma era de abundância se aproxima.


Saiba mais sobre a história mundial em Our World In Data Gapminder.

Traduzido de The world as 100 people, glimpsed over 200 years of history.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Vinicius Soares

Engenheiro de Telecomunicações pelo Instituto Nacional de Telecomunicações e MBA em Marketing pela FGV. Atua no mercado de TIC há mais de 20 anos, com experiência em gestão de desenvolvimento de software, gestão de portfólio, marketing e vendas B2B. É especialista em Inteligência Artificial e em Estratégia de Produtos e Serviços em TIC. Fundador do AiNews Network e da Mais a.i., empreendimentos baseados em Inteligência Artificial, sendo o AiNews Network um site com conteúdo especializado em I.A. e a Mais a.i. uma empresa de consultoria, projetos e educação executiva, também em I.A.

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook

Leia também

Fechar