Negócios

A importância de dar “sentido” aos dados

Muitas empresas geram muitas informações em suas atividades diárias e sistemas de informação e não conseguem extrair o máximo deles, em função de não terem uma cultura orientada por dados, processos estabelecidos e pessoas capacitadas que consigam dar significado e contexto para eles.

O processo de dar significado e contexto para os dados é algo que exige do profissional profundo conhecimento do negócio, além de uma formação quantitativa e qualitativa que o habilite a transitar pelas diversas áreas de negócio da empresa e fazer a ponte entre os diversos interlocutores.

O diferencial desse profissional é a clareza do que deve ser feito, fruto da junção da visão da área de negócios com o entendimento das diversas etapas do processo de geração de conhecimento através dos dados.

Oferecendo “sentido” aos dados

No passado recente esse papel era geralmente desempenhado por um profissional com conhecimento em Inteligência de Mercado, Marketing e Finanças. Acredito que, num mundo onde processos são cada vez mais automatizados e os “dados” são o novo petróleo, essas formações são extremamente relevantes, mas que competências adicionais são necessárias para este profissional, de modo a permanecer competitivo.

Vejo que uma formação complementar com foco em Digital Analytics, Data Science, Economia Comportamental, Design centrado no Usuário e Neurociência aplicada ao Consumo, são essenciais para ajudar a entender o comportamento do consumidor e a analisar tendências.

dados 01
Os dados são o novo petróleo (Crédito: Shutterstock)

Formação multi-disciplinar

Existe a expressão em inglês “multiniche strategy”, que seria a chamada estratégia “multi-nicho” que, adaptando o conceito na minha visão, seria alguém que tem uma formação generalista e, ao mesmo tempo, algumas formações complementares que o habilitariam a ser especialista em algumas áreas.

Com isso, essa pessoa conseguiria, tendo uma formação multi-disciplinar, trabalhar com o chamado pensamento “lateral” e conseguir transitar entre diversas áreas do conhecimento, podendo aplicar e adaptar conceitos e ideias de uma área para outra.

Em tempos mais recentes em inglês surgiu a expressão “STEAM”, que une a expressão já então famosa “STEM” que representa o acrônimo para o estudo das Ciências Exatas como Matemática, Ciência da Computação e as chamadas “Liberal Arts” que são disciplinas das Ciências Humanas.

dados 02
Deve-se conseguir transitar entre diversas áreas do conhecimento (Crédito: Shutterstock)

Essa demanda veio justamente de hoje nas empresas haverem equipes multi-disciplinares e os currículos das Universidades não terem acompanhado essa evolução, o que obriga muitas vezes a pessoa a ter de buscar formações complementares, como cursos presenciais e à distância de Extensão/Atualização, Pós-graduações e cursos Stricto Sensu de Mestrado e Doutorado, assim como cursos avulsos que existem fartamente disponíveis na Internet hoje em dia, como por exemplo sites como Coursera e Edx.org.

A criação de áreas encarregadas de abastecer os decisores com informações e a geração de conhecimento para o negócio, não pode ocorrer de maneira isolada, mas sim dentro de uma estratégia maior de uma cultura orientada por dados e do processo de Transformação Digital da Empresa.

Apoio da Diretoria e Stakeholders

O apoio da Diretoria e de todos os Stakeholders é essencial para que o processo se concretize, de modo que a área tenha autonomia e a estrutura necessária para que possa operar e cumprir o que se espera dela, no caso, a geração de insights acionáveis e recomendações para o processo decisório na empresa.

Li por acaso essa semana notícia de que está para ser votado no Brasil um projeto de lei que é uma versão light da GDPR (Legislação Européia de Regulação de Proteção de dados) e que isso poderia ser muito importante para atrair investimentos para nosso país.

Nesse contexto, uma formação que habilite a pessoa a extrair informações relevantes dos dados gerados, levantar e testar hipóteses, mapear cenários, gerar recomendações, insights e conhecimento nesse processo, será essencial para a competitividade desse profissional no futuro e por consequência da empresa como um todo.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Renato Azevedo Sant'Anna

Renato Azevedo Sant'Anna tem 35 anos, trabalha atualmente como Estrategista Digital / Consultor de Insights & Data Intelligence. Graduado em Engenharia da Computação e MBA Analytics em Big Data pela FIA e MBA em Marketing pela FGV. Tem experiência com Inteligência de Negócios em canais digitais desde 2011.

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook