Educação

Imperial College London está apostando em hologramas para ensinar seus alunos

O Imperial College London está apostando em um novo método para ensinar seus alunos: hologramas. A iniciativa, que inicialmente será restringida às atividades do Imperial College Business School, permitirá que professores de outras localidades ministrem palestras virtualmente e em tempo real.

Hologramas nas artes e na educação

A ideia de usar hologramas em aulas, palestras e teatros não é nova. Em 1862, o cientista inglês John Henry Pepper popularizou um método de ilusão que veio a ser chamado de Pepper’s ghost. Em resumo, a técnica envolve uma folha de vidro para transmitir e refletir parcialmente a luz.

Posicionando cuidadosamente o vidro e uma fonte de luz, um objeto pode ser criado para aparecer em um local completamente diferente. Em 2012, o método foi usado pela empresa Digital Domain para “trazer de volta” o rapper Tupac Shakur durante um festival de música:

Além disso, o efeito Pepper’s ghost foi usado por políticos para difundir suas propostas e campanhas eleitorais. Em 2017, o político Jean-Luc Mélenchon, que foi candidato às eleições presidenciais na França, utilizou a técnica para aparecer em nada menos que sete lugares ao mesmo tempo:

Apesar de ter resultados práticos eficazes, o método Pepper’s ghost tem seus contratempos. Em primeiro lugar, o efeito é difícil de ser configurado e envolve profissionais habilitados. Em segundo lugar, a exibição tem um custo elevado, o que prejudicaria a regularidade das aulas com hologramas.

O problema com o Pepper’s Ghost é que ele pode ser complicado de configurar. E pode custar cerca de £ 150.000 para rodar um evento. – Dr. David Lefevre (Diretor do Imperial Edtech Lab)

Hologramas fotorrealistas

Buscando conciliar um “toque futurista” nas aulas universitárias – e sem, é claro, precisar investir £ 150.000 a cada hora de conteúdo –, o Imperial College London encontrou os serviços da Arht Media. A empresa, com sede em Toronto, no Canadá, é especializada em hologramas fotorrealistas.

Em resumo, a Arht Media cria hologramas usando seus “estúdios de captura”. Eles permitem transmitir uma aula ou palestra virtualmente em qualquer lugar do mundo. O diferencial é que a estrutura pode ser configurado para vários locais, como salas de reuniões, espaço para eventos e área de conferências.

hologramas
O evento Women in Tech testou os hologramas na última quinta-feira (Crédito: Imperial College Business School)

Dentro dos “estúdios de captura”, os palestrantes são filmados contra um pano de fundo preto enquanto são iluminados de ambos os lados. O conteúdo, então, é capturado, transmitido e exibido simultaneamente para vários estágios com interatividade bidirecional em tempo real.

Planos para o futuro

Os planos da instituição britânica envolvem usar dois estúdios externos, em Los Angeles e Toronto. O lado positivo é que os convidados poderão ministrar aulas para várias salas de aula simultaneamente. Além disso, as aulas poderão ser gravadas e reproduzidas no futuro, embora sem possibilidade de interação.

Já a desvantagem é que há uma probabilidade menor de os convidados ficarem por perto para um bate-papo depois que a apresentação terminar. Eventualmente, há sempre o risco de um problema técnico. Seja como for, o Imperial College London está confiante de que os hologramas poderão revolucionar o ensino.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook

Leia também

Fechar