tíbia
Tecnologia

Homem australiano recebe o primeiro transplante de tíbia impressa em 3D

Reuben Lichter concluiu o procedimento com sucesso em sua perna direita

O primeiro transplante mundial de uma tíbia impressa em 3D foi realizado, com sucesso, na Austrália. A operação, liderada pelo cirurgião reconstrutivo Michael Wagels, ocorreu há poucas semanas no Princess Alexandra Hospital, em Brisbane, capital do estado australiano de Queensland.

O primeiro transplante de tíbia impressa em 3D

Os médicos transplantaram o osso tridimensional em Reuben Lichter. No final de 2016, o paciente foi diagnosticado com osteomielite (doença infecciosa grave que atinge ossos longos como o fêmur, a tíbia e o úmero). A inflamação afetou a tíbia direita e estava lentamente desintegrando o osso.

O osso começou a causar dores intensas no início deste ano, levando Lichter a procurar ajuda médica. Ao analisar a situação, o cirurgião Michael Wagels constatou que todos os 36 cm da tíbia estavam infectados. A condição era tão grave que a única opção era amputar a perna acima do joelho.

tíbia 01

A inflamação afetou a tíbia direita de Lichter e estava lentamente desintegrando o osso (Crédito: AAP)

Contudo, Wagels ofereceu a Lichter a possibilidade de realizar um procedimento experimental para salvar sua perna sem precisar amputá-la. Com receio de perder o membro, Litchter concordou a operação.

[A equipe cirúrgica] veio até mim e disse que existiam duas opções: você pode ser amputado acima do joelho ou você pode tentar essas coisas experimentais que podem funcionar ou não, e eu disse: ‘Bom, faça isto’. – Reuben Lichter

O procedimento

Para realizar o procedimento, os médicos precisaram primeiro drenar o pus da perna infectada de Lichter. Após, para substituir completamente o osso da tíbia, Dr. Wagels e seus colaboradores criaram uma espécie de “andaime” que estimularia o crescimento das células do corpo.

tíbia 02

Reuben Lichter é a primeira pessoa no mundo a obter uma nova tíbia impressa em 3D (Crédito: AAP)

A estrutura tridimensional da tíbia foi modelada inicialmente na Queensland University of Technology, sendo depois impressa em Singapura, no Sudeste Asiático. O osso impresso em 3D foi aos poucos sendo enrolado nos vasos sanguíneos e no tecido da perna direita de Lichter.

O procedimento experimental foi concluído com a operação mais recente, há duas semanas, quando a versão final do “andaime” foi transplantada. Reuben Lichter está indo bem, e os médicos estão confiantes de que ele poderá caminhar novamente em menos de 18 meses.

tíbia 03

O paciente correu risco de vida após uma infecção apodrecer o osso da canela (Crédito: AAP)

Os próximos passos

A cirurgia realizada em Reuben Lichter prepara o terreno para transplante de ossos maiores, tanto para pacientes com infecções quanto para vítimas de acidentes traumáticos. Este tipo de transplante será capaz de ajudar muitos pacientes, reduzindo dores e evitando a amputação de membros.

tíbia 04

A tíbia inflamada foi removida e, após cinco operações, o novo osso foi inserido com sucesso (Crédito: AAP)

impressão 3D tem potencial de se tornar um padrão para tratamentos personalizados desta espécie. Isso sem falar nas possibilidades de fabricar membros protéticos, órgãos, vértebras de titânio e vasos sanguíneos com esta inovadora tecnologia.

O futuro da impressão 3D no campo da medicina é, sem dúvida, bastante animador. E, assim como Reuben Lichter, inúmeros outros pacientes poderão receber uma segunda chance de viver melhor.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Futuro Exponencial é um site dedicado a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade. Contate-nos: contato@futuroexponencial.com

Comentários no Facebook