Tecnologia

A opinião de 9 gigantes da tecnologia sobre a escalada dos robôs

Em centros de atendimento ao redor dos EUA, milhares de pequenos robôs laranja classificam pacotes para a Amazon. Em uma fábrica da Califórnia, máquinas vermelhas com vários braços montam os veículos elétricos futuristas da Tesla. Este é o mundo que a indústria de tecnologia está criando.

De acordo com a maior parte dos dados disponíveis, uma rápida automação dos trabalhos manuais e de atendimento ao cliente acontecerá nos próximos 20 anos. Milhões de funcionários podem ser forçados a aprender novas habilidades ou a mudar completamente de função.

O que dizem os gigantes da tecnologia

Veja como os executivos da indústria de tecnologia estão enxergando a ameaça de uma dominação robótica:

1. Bill Gates

O co-fundador da Microsoft acredita tão fortemente na ideia de robôs assumindo o trabalho das pessoas que ele já começou a pensar sobre como as empresas deveriam pagar impostos sobre esses robôs para compensar as perdas de arrecadação de imposto de renda.

Bill Gates sugere que os robôs, de alguma forma, também paguem impostos (Crédito: Getty Images)

“Em algumas atividades, a substituição do trabalho humano acontecerá abruptamente”, disse Gates à Quartz recentemente. “Então, você sabe, trabalhos em armazéns, motoristas, arrumadores de quarto, há algumas coisas que são tipos de trabalho significativos que certamente deixarão de existir nos próximos 20 anos.”

2. Mark Cuban

O investidor da “Shark Tank” e dono do Dallas Mavericks observou em várias ocasiões que robôs com inteligência artificial eliminarão empregos em massa nos próximos anos.

Em fevereiro, Cuba criticou os planos do presidente Trump de trazer de volta empregos na fábrica americana como um sinal da pobre compreensão do presidente sobre tecnologia e negócios.

“As pessoas não vão ter empregos”, disse Cuba. “Como Trump lida com trabalhadores deslocados?”

3. Vinod Khosla

Khosla, co-fundador da Sun Microsystems e um destacado investidor de risco, afirmou que 80% dos empregos em TI correm risco de serem automatizados nas próximas décadas.

Muitos dos trabalhos que correm risco na visão de Khosla envolvem rotina, entrada de dados repetitiva ou solução de problemas simples.

“Acho que isso é emocionante”, disse Khosla em uma conferência em novembro de 2016 sobre a iminente revolução robótica.

4. Devin Wenig

O presidente e o CEO de eBay disse que a inteligência artificial poderia eliminar indústrias inteiras durante a próxima década. Mas ele permanece otimista, desde que os empregadores reconheçam seu papel na capacitação dos trabalhadores que podem ser deslocados.

“À medida que a AI evolui, a capacitação profissional deve evoluir junto”, escreveu Wenig no início de janeiro. “Já existem grandes deficiências em campos intimamente relacionados com AI, como ciência de dados, engenharia e operações”.

5. Elon Musk

O CEO da Tesla disse à CNBC em uma entrevista, em novembro de 2016, que ele acredita que os robôs assumirão tantos empregos em meados do século 21, que o governo vai começar a pagar os salários das pessoas, mesmo que eles não trabalhem.

Para Musk, os robôs assumirão muitos empregos em meados do século 21(Crédito: Getty Images)

A ideia é chamada de renda básica universal, e Musk é o mais recente empreendedor de tecnologia a apoiar a ideia como uma solução para automação robótica.

“Eu não tenho certeza que outras opções teríamos”, disse Musk. “Penso que é isto que aconteceria.”

6. Sam Altman

Outro defensor de renda básica, o presidente da Y Combinator está quase certo que robôs irão dominar as economias industrializadas dentro de 100 anos, e convicto que eles criarão um grande degrau nos próximos 20 anos.

“A questão que eu estou me debatendo é, principalmente, sobre o que vai acontecer com a economia e com os empregos à medida em que a automação se tornar uma força cada vez mais poderosa”, disse Altman em um vídeo chat recente.

7. Jeff Bezos

O CEO da Amazon tem experimentado o poder da AI há anos. Em suas próprias fábricas, há mais de 45.000 robôs transportando pacotes de um lugar para outro.

A Amazon também anunciou planos para construção de supermercados sem empregados humanos.

O CEO da Amazon tem experimentado o poder da AI há anos (Crédito: Getty Images)

“É provavelmente difícil superestimar o tamanho do impacto que acontecerá na sociedade nos próximos vinte anos”, disse Bezos em uma recente Code Conference.

8. Chris Hughes

Hughes, um co-fundador do Facebook, diz que um futuro repleto de automação no trabalho é inevitável.

“A realidade é que o trabalho mudou”, disse Hughes à NPR. Muitos trabalhos já realizados por humanos, são agora e cada vez mais realizados por computadores.

O próprio Hughes apoia a renda básica como uma solução para as crescentes inconsistências (e insegurança) nos empregos.

9. Ray Kurzweil

O diretor de engenharia do Google não está exatamente em pânico com relação ao futuro do trabalho.

Kurzweil vê os robôs como uma força para o bem, pelo menos em termos de liberar as pessoas para fazer o que elas amam. Ele previu que até a década de 2030, a AI ultrapassará a inteligência biológica e os carros autônomos estarão em toda parte.

Kurzweil vê os robôs como uma força para o bem (Crédito: Getty Images)

“Nós teremos novos tipos de empregos, criando novos tipos de renda que ainda não existem e esta tem sido a tendência”, disse Kurzweil ao Entrepreneur.


Traduzido de: From Gates to Musk – this is what tech giants think about the rise of robots

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Vinicius Soares

Engenheiro de Telecomunicações pelo Instituto Nacional de Telecomunicações e MBA em Marketing pela FGV. Atua no mercado de TIC há mais de 20 anos, com experiência em gestão de desenvolvimento de software, gestão de portfólio, marketing e vendas B2B. É especialista em Inteligência Artificial e em Estratégia de Produtos e Serviços em TIC. Fundador do AiNews Network e da Mais a.i., empreendimentos baseados em Inteligência Artificial, sendo o AiNews Network um site com conteúdo especializado em I.A. e a Mais a.i. uma empresa de consultoria, projetos e educação executiva, também em I.A.

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook