abundante
Inovação

O futuro será abundante

O conceito de abundância nos remete à ideia de disponibilidade generalizada de produtos e serviços

Se há um importante aspecto que os historiadores concordam é o de que a vida era curta nos tempos antigos. Para que a vida não cessasse num piscar de olhar, nossos ancestrais tinham de enfrentar as ameaças mais urgentes à sobrevivência, aniquilar animais selvagens e construir abrigos para se proteger. Uma época nada abundante.

abundante cave

Durante muitos séculos nossos antepassados não conseguiram vislumbrar além do ciclo do período de um dia e uma noite. Mas, em algum ponto da história, a sobrevivência exigiu o planejamento.

Para permanecer vivo durante invernos longos e gelados, o ser humano precisou desenvolver a capacidade de pensar adiante e armazenar comida para tempos sombrios. Ao eliminar as ameaças aos poucos, conquistou a liberdade de olhar para o amanhã sem ter de se preocupar apenas com o presente.

E assim teve início a nossa marcha incessante em direção ao futuro.

Cérebro linear, mundo exponencial

Presenciamos inúmeras (r)evoluções nas últimas décadas. Contudo, mesmo com todos os avanços tecnológicos, mantemos ainda uma forma de pensamento que não condiz com as revoluções científicas.

A sociedade em que vivemos exige que sejamos capazes de nos projetar no amanhã, realizando planos e organizando possibilidades vindouras para contextos e situações diversas.

O mundo global de hoje é bem diferente daquele que viviam nossos ancestrais. Fomos ensinados desde cedo a pensar linearmente, mas as tecnologias atuais evoluem em padrão exponencial.

Não é fácil ser otimista quando a arquitetura de filtragem do cérebro estruturalmente pessimista; quando nossos instintos de sobrevivência nos levam a acreditar que estamos no fundo do fosso – e limitam nosso desejo de sair de lá por acreditar ser fundo demais; quando as boas notícias são abafadas pelos meios midiáticos de comunicação.

O ceticismo e, acima de tudo, a incapacidade de enxergar pontos positivos neste oceano de más notícias negativas, talvez seja o maior obstáculo rumo à melhoria significativa em âmbito global.

Por um mundo mais abundante

Na contramão do pensamento majoritário, Peter Diamandis acredita que vivemos num mundo de abundância (e não de escassez). Esse é o tema, aliás, de seu best-seller Abundance (2012), escrito com Steven Kotler.

Para Diamandis, as novas tecnologias permitirão, nas próximas décadas, que a maioria da humanidade experimente aquilo que somente os mais abastados têm acesso. Dentro de uma geração, aqueles bens e serviços hoje reservados a uma minoria rica serão destinados a todos que necessitarem.

Embora a ameaça de um mundo de escassez seja alardeada em todos os cantos, Diamandis apresenta no livro estudos e gráficos demonstrando que estamos presenciando uma época abundante.

O conceito de abundância nos remete à ideia de disponibilidade generalizada de produtos e serviços. É uma visão global baseada na mudança exponencial, que exige uma modificação cultural para ser concretizada.

As pessoas, de modo geral, ainda se mostram céticas, acreditando que progresso tecnológico nas próximas décadas será insuficiente, e que o intervalo de tempo é curto demais para que os avanços se viabilizem.

Mas é inegável que a humanidade está adentrando um período de profundas transformações. E, se queremos realmente criar uma era abundante, teremos de aprender a pensar diferente e nos sentirmos à vontade em arriscar e aprender com nossos erros.

No início, ideias revolucionárias são consideradas absurdas

Os relutantes aos novos conceitos estarão sempre presentes. As pessoas resistem às ideias revolucionárias até o momento em que forem aceitas como a nova norma. O caminho para a abundância exige grandes inovações e requer uma tolerância ao risco, ao fracasso e às ideias que parecem totalmente absurdas.

As pessoas dizem que é uma ideia louca e que nunca funcionará. Depois as pessoas dizem que sua ideia pode funcionar, mas não vale a pena tentar. Finalmente, as pessoas dizem: eu falei o tempo todo que era uma ótima ideia! – Sir Arthur C. Clarke

Sob as lentes da tecnologia, poucos são os recursos realmente escassos. O problema, em verdade, não é de escassez, mas de acessibilidade. Alguns dos recursos são inacessíveis. Ainda.

Almejar a abundância significa construir um mundo de infinitas possibilidades, um mundo em que as pessoas dediquem seus esforços, tempo e energia para concretizar seus sonhos e realizações, e não lutando pela sobrevivência, como faziam nossos ancestrais.

A abundância é uma ideia inclusiva, que visa a todos. O indivíduo é mais importante hoje do que em qualquer outra época. Por isso, devemos estar preparados para o novo, para o diferente, para o desconhecido.

Devemos, em suma, assumir um novo olhar em relação ao mundo. Um olhar, acima de tudo, exponencial.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação do Futuro Exponencial

Comentários no Facebook