Ciência

No futuro, foguetes espaciais poderão ser fabricados com impressoras 3D

Relativity Space revelou planos para fabricar uma frota de foguetes espaciais usando apenas impressoras 3D. Enquanto os foguetes atuais têm aproximadamente 100.000 peças, os modelos produzidos pela startup terão menos de 1.000 peças e serão concluídos em 60 dias.

Com a ambiciosa missão de reimaginar a maneira como os foguetes espaciais são construídos e lançados, a Relativity Space arrecadou mais de US$ 45 milhões de investidores desde sua fundação em 2015. Os investimentos serão essenciais na construção do que a startup chama de “a próxima geração de foguetes orbitais”.

Stargate, a maior impressora 3D de metal do mundo

Convencida de que o futuro da humanidade é interplanetário, a Relativity Space desenvolveu uma enorme impressora 3D para atingir suas metas ambiciosas. A máquina, intitulada Stargate, é considerada a “espinha dorsal” da fábrica, sendo capaz de imprimir foguetes espaciais em apenas 60 dias.

Com a abordagem de impressão 3D, as pessoas viram que podemos produzir e lançar foguetes com um prazo de entrega de 60 dias. Isso é completamente não-competitivo. – Tim Ellis (CEO da Relativity Space)

impressoras 01
Stargate é considerada a maior impressora 3D de metal do mundo (Crédito: Relativity Space)

A startup pretende utilizar os fundos recentes para construir uma segunda versão da impressora (ainda mais atualizada), contratar 28 novos funcionários e quadruplicar suas instalações atuais até o final deste ano. O objetivo não é outro senão acelerar (e muito) a produção de foguetes.

Fabricando foguetes com impressoras 3D

Tim Ellis (CEO) e Jordan Noone (CTO) adquiriram bastante experiência na construção de foguetes durante o período em que trabalharam, respectivamente, nas empresas aerospaciais Blue Origin e SpaceX. Juntos, sonharam um dia revolucionar o mercado aerospacial com foguetes feitos com impressoras 3D.

Um dos benefícios da impressão 3D é que podemos testar, coletar dados, imprimir uma nova versão e testar novamente em semanas, em vez de meses. – Tim Ellis

Durante meses, Ellis e Noone dedicaram suas energias para projetar um foguete de médio porte com 95%  de suas peças impressas em 3D. Desenvolvido com a finalidade de implantar e reabastecer satélites em órbita, o modelo Terran 1 é considerado o “veículo de lançamento da próxima geração”.

impressoras 02
A startup pretende colocar o foguete Terran 1 em órbita em 2020 (Crédito: Relativity Space)

A Relativity acredita que todos os foguetes serão impressos em 3D nas próximas décadas e seus planos futuros incluem até mesmo imprimir um foguete capaz de levar humanos até Marte. Mas a startup está ciente que deverá demonstrar seu valor na Terra antes de almejar pousar no planeta vermelho.

Por isso, a primeira meta envolve colocar o foguete Terran 1 em órbita, com segurança, até o ano de 2020. Se tudo correr bem, os lançamentos comerciais deverão iniciar a partir de 2021, tanto para colocar novos satélites em órbita terrestre baixa quanto para viabilizar novas missões exploratórias.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook

Leia também

Fechar