Ciência

NASA planeja construir estação espacial em órbita lunar

A NASA está planejando construir uma estação espacial em órbita lunar. A estrutura pretende ampliar o conhecimento humano sobre o espaço profundo, além de possibilitar atividades comerciais ao redor do satélite natural da Terra. Lunar Orbital Platform-Gateway deverá ser concluído na próxima década.

Em síntese, a agência espacial pretende construir o posto avançado usando o enorme foguete Space Launch System. Além disso, deverá contar com a ajuda da cápsula espacial Orion. O detalhe é que ambas as estruturas ainda estão em desenvolvimento e não devem ser concluídas antes de 2020.

A estrutura da estação espacial

A primeira parte do posto avançado está programada para decolar em 2022. Em resumo, a estrutura terá 50 toneladas e suportará, no máximo, quatro tripulantes por vez. Nela, os astronautas deverão aceitar a missão de viver e trabalhar na estação lunar por períodos de até 90 dias.

Nesse momento inicial, os tripulantes não terão tanto espaço para vagar no posto avançado. Se comparada à Estação Espacial Internacional (ISS), a estrutura é significativamente menor. Em síntese, enquanto a ISS tem 388 m³ (5.724 m²), o Gateway terá apenas 55 m³ (155 m²) de volume habitável.

órbita lunar 01
A primeira parte do posto avançado está programada para decolar em 2022 (Crédito: NASA)

Para aumentar as dimensões do Gateway, cinco empresas estão atualmente desenvolvendo protótipos de módulos lunares. São elas: Lockheed Martin, Northrop Grumman, Bigelow Aerospace, Boeing e a Sierra Nevada Corp. Além dessas, a NASA espacial está negociando com uma sexta empresa, a NanoRacks.

Planos na órbita lunar

Se tudo der certo, os astronautas da NASA poderão pisar na Lua na segunda metade dos anos 2020. Esse objetivo vem ao encontro da Diretiva de Políticas Espaciais do Governo Trump. Em síntese, o documento instrui a agência a estabelecer um posto avançado sustentável de longo prazo na superfície lunar.

órbita lunar 01
Segundo a Diretiva, o avanço da NASA no sistema solar não deve terminar na Lua (Crédito: NASA)

De acordo com Trump, a diretiva pretende reorientar o programa espacial estaduniense “na exploração e descobertas humanas”. Além disso, busca assegurar o retorno dos astronautas à Lua pela primeira vez desde 1972. Segundo a diretiva, porém, o avanço da NASA no sistema solar não deve terminar na Lua.

Marte ainda é importante. Mas é o objetivo de longo prazo. O foco de curto prazo será nosso vizinho no espaço cislunar. – John Guidi (Diretor da HEOMD’s Advanced Exploration Systems da NASA)

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook

Leia também

Fechar