Ciência

No futuro, elevadores espaciais poderão ser uma realidade

Não é novidade para ninguém que os foguetes são a única maneira de ir ao espaço. Não à toa, empresas estão investindo bilhões em foguetes reutilizáveis. Mas, em um futuro não muito distante, poderemos ter uma nova opção para colocar pessoas e cargas úteis em órbita. Estamos falando deles – os elevadores espaciais.

Elevadores espaciais, uma ideia do século XIX

O primeiro elevador espacial foi idealizado em 1895, por Konstantin Tsiolkovsky. Na ocasião, o cientista russo  sugeriu construir um extravagante “Castelo Celestial” em órbita. Em síntese, Kostantin propôs conectar a estrutura a uma torre na Terra, tendo como referência a torre Eiffel, em Paris.

Algumas décadas depois, o conceito foi desenvolvido por dois engenheiros, Yuri Artsutanov (1960) e Jerome Pearson (1975), e até por um oceanógrafo, John Isaacs (1966). Desde então, os cientistas vêm se dedicando a encontrar maneiras de conectar a Terra ao espaço sem depender de foguetes.

Da ficção à realidade

Aquilo que sempre foi um conceito até hoje poderá um dia se tornar realidade. A NASA, por exemplo, acredita ser capaz de construir um elevador espacial nas próximas décadas, embora sem estimativa de tempo. Além disso, a China divulgou intenções de construir seu próprio elevador espacial até 2045.

Mas talvez o maior projeto seja, de fato, da Obayashi Corporation. A gigante da construção japonesa revelou planos para construir um elevador para transportar pessoas e itens ao espaço. De acordo com a empresa, o elevador espacial não apenas é plausível, como estará em funcionamento até 2050.

elevadores espaciais 01
Elevadores espaciais poderão um dia ser uma realidade (Crédito: Pat Rawlings)

Com objetivo de testar a viabilidade real do conceito, pesquisadores da Shizuoka University conduzirão uma série de testes no espaço. Em resumo, o experimento será executado com ajuda de astronautas da Estação Espacial Internacional (ISS) e envolve mover um contêiner em um cabo no espaço sideral.

Os pesquisadores da Shizuoka University enviarão dois pequenos satélites cúbicos à ISS. O lançamento dos satélites está previsto para 11 de setembro de 2018, a partir do Centro Espacial Tanegashima, na província de Kagoshima. Será o primeiro experimento desse tipo em órbita.

Leia também

  • Empresa japonesa planeja construir um “elevador espacial” até 2050 (aqui)

Percalços e desafios

Mesmo que o experimento seja bem-sucedido, a ideia de um elevador espacial traz muitas dúvidas. Afinal, como lidar com detritos espaciais? Como proteger a estrutura de uma colisão de meteoritos? Além disso, como evitar que pedaços de foguetes que orbitam a Terra danifiquem o cabo do elevador?

Ainda: qual tipo de material deverá ser usado na confecção do cabo do elevador? Os engenheiros deverão adotar materiais leves ou pesados? Quais serão as dimensões do cabo? Como reduzir os riscos da viagem? Enfim, e os efeitos psicológicos dos passageiros durante o trajeto, como ficam?

O maior projeto de engenharia já realizado

Seja como for, um elevador espacial será certamente o maior projeto de engenharia já realizado. Embora possa vir a custar bilhões de dólares para ser construído, um projeto de tais dimensões reduziria o custo de colocar itens em órbita. Além disso, como destaca Michio Kaku, qualquer um poderia conhecer o espaço:

O elevador espacial é o Santo Graal da exploração espacial. Imagine apertar o botão ‘para cima’ de um elevador e dar uma carona até o céu. Isso poderia abrir espaço para qualquer pessoa. – Michio Kaku 

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook