Sustentabilidade

Chernobyl está prestes a se tornar uma grande usina de energia solar

Em 26 de abril de 1986, a cidade de Chernobyl, localizada no norte da Ucrânia, foi palco da maior catástrofe nuclear da história da humanidade. Na ocasião, o reator número quatro da usina nuclear explodiu e, tomado pelo fogo, liberou uma imensa nuvem de partículas radioativas na atmosfera.

O desastre de Chernobyl teve efeitos imensuráveis. A contaminação se espalhou pelo território da Rússia, Ucrânia e Bielorrússia, dizimando pessoas, animais e o meio ambiente como um todo. Pripyat, localizada a 20 km da usina nuclear, foi abandonada e se tornou uma “cidade fantasma”.

Chernobyl 01
Pripyat se tornou uma “cidade fantasma” (Crédito: Shutterstock)

O maior desastre nuclear da história

As autoridades soviéticas evacuaram centenas de milhares de pessoas após o desastre. O território, com mais de 2.000 quilômetros quadrados de largura, permaneceu abandonado. A usina continuou operando os reatores remanescentes, sendo o último desligado no ano de 2000.

As consequências da catástrofe afetaram o local de tal forma que, segundo algumas estimativas, a cidade não poderá ser habitada por mais de 24 mil anos. Apesar da gravidade do cenário, nada impede que o território seja utilizado para incentivar a produção industrial e o desenvolvimento de projetos científicos:

Esse território obviamente não pode ser usado para a agricultura, mas é formidável para projetos científicos e de inovação. – Ostap Semerak (Ministro da Ecologia)

Chernobyl 02
Segundo estimativas, Chernobyl não poderá ser habitada por mais de 24 mil anos (Crédito: Shutterstock)

Um recomeço para Chernobyl

Passados quase 32 anos desde a catástrofe, a cidade está prestes a reiniciar sua produção energética. Cerca de 3.800 painéis fotovoltaicos foram instalados no local, cobrindo uma área do tamanho de dois campos de futebol. Devido à contaminação do solo, as células solares foram ligadas a uma base de concreto.

A empresa responsável por liderar os esforços é a Solar Chernobyl, que investiu aproximadamente € 1 milhão (US$ 1,54 milhão) na instalação. Segundo as projeções do grupo, a usina solar retornará o investimento em menos de sete anos e será capaz de atender às necessidades de 2.000 apartamentos:

Esta usina de energia solar poderá cobrir as necessidades de uma vila de tamanho médio. – Yevgen Varyagin (Presidente da Solar Chernobyl)

Chernobyl 03
A usina solar será capaz de atender às necessidades de 2.000 residências (Crédito: Getty Images)

A retomada da produção energética na cidade é uma estratégia do governo ucraniano para aproveitar a “zona fantasma” criada após o pior acidente nuclear da história e suprir a necessidade energética do país, que foi abalada com o fim das importações de gás natural da Rússia, no ano de 2015.

Embora Chernobyl possa nunca mais ser a cidade viva e povoada que uma vez foi, o local do desastre tem potencial para se tornar uma fonte de energia renovável, abastecendo milhares de residências em um futuro próximo e até mesmo produzindo 100 vezes mais do que sua capacidade atual.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook