Tecnologia

Bonecas sexuais podem agora dizer ‘não’ caso sejam desrespeitadas

Sim, bonecas sexuais podem agora dizer ‘não’ caso sejam desrespeitadas.

A famosa boneca sexual Samantha foi atualizada com um novo recurso capaz de responder a comportamentos violentos por parte dos usuários. A partir de agora, quando identificar que o parceiro está sendo agressivo demais, a boneca entrará em “modo manequim”, sem oferecer respostas físicas ou verbais.

Boneca sexuais agoram dizem ‘não’

De acordo com Sergi Santos, criador de Samantha, o novo mecanismo foi criado por insistência da esposa. Segundo ele, a boneca sexual foi inventada justamente porque a cônjuge era incapaz de satisfazer seus desejos sexuais. Por mais absurdo que pareça, Samantha teria sido a responsável por salvar o casamento.

Para mim, os seres humanos não são suficientes. Eu preciso de sexo algumas vezes nos dias em que minha esposa não quer. – Dr. Sergi Santos

bonecas sexuais 01
A famosa boneca sexual Samantha foi atualizada com um novo recurso (Crédito: Synthea Amatus)

Por insistência da esposa, Sergi decidiu acrescentar uma funcionalidade à boneca sexual. Com o recurso, sempre que detectar qualquer comportamento agressivo do usuário, Samantha ativará automaticamente o “modo manequim”. Em síntese, a função desligará todas suas funções físicas ou verbais.

No dummy mode, as partes motorizadas do corpo de Samantha (mãos, braços e expressões faciais) serão desligadas. Assim, o recurso tem dupla finalidade. Em primeiro lugar, pedagógica, encorajando os usuários a respeitar a boneca. Em segundo lugar, punitiva, penalizando os parceiros que não tratam Samantha com cuidado.

Bonecas sexuais e digissexualidade

Por incrível que pareça, existem milhares de pessoas ao redor do mundo com interesse em ter relações (afetivas e/ou sexuais) com bonecas sexuais. Esse comportamento, denominado digissexualidade, vem sendo objeto de inúmeros debates e, por questões óbvias, levanta muitos pontos polêmicos.

As pessoas digissexuais são aquelas cujo apetite sexual é predominantemente satisfeito pelo mundo virtual. Em resumo, aquelas cuja identidade sexual primária decorre do uso da tecnologia. Para Neil McArthur, da Universidade de Manitoba (Canadá), a digissexualidade deve se tornar mais presente nos próximos anos.

Ainda não há informações sobre como os usuários reagiram ao novo recurso. É provável que tais dados sequer sejam divulgados na grande mídia. Contudo, será que o “modo manequim” realmente encorajará os parceiros a tratar Samantha com respeito ou despertará neles o seu estado mais sádico?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook