Ciência

Bigelow Aerospace revela planos para lançar dois “hotéis espaciais” em 2021

Desde a sua fundação, em 1999, a Bigelow Aerospace vem se dedicando a construir módulos espaciais infláveis com o objetivo de construir habitats no espaço. Liderada por Robert T. Bigelow, a empresa tem a missão de desenvolver plataformas espaciais comerciais seguras e de baixo custo na órbita terrestre baixa.

Com a ambição de revolucionar o turismo espacial no futuro, a Bigelow Aerospace fundou, nesta semana, a Bigelow Space Operations (BSO). A empresa spinoff será exclusivamente responsável pela comercialização dos habitats infláveis, que poderão ser utilizados ​​como “hotéis espaciais” no futuro.

Os planos da Bigelow Aerospace

Conforme o comunicado oficial, o primeiro objetivo da BSO será quantificar o mercado do turismo espacial, detalhando as oportunidades disponíveis em níveis global, nacional e corporativo. A Bigelow Aerospace estima que serão investidos milhões de dólares para concretizar o objetivo. E isso apenas em 2018.

Nós vamos gastar milhões de dólares para tentar chegar a essa resposta. – Robert T. Bigelow

Os planos ambiciosos da Bigelow Aerospace incluem o lançamento de dois módulos infláveis em 2021. De acordo com a empresa norte-americana, os habitats B330-1 e B330-2 serão

as maiores e mais complexas estruturas já conhecidas como estações para uso humano no espaço.

Bigelow Aerospace 01
Em resumo, os habitats B330-1 e B330-2 serão lançados em 2021 (Crédito: Bigelow Aerospace)

Ambos os módulos possuem quase um terço do volume da Estação Espacial Internacional. Além disso, são projetados para a órbita terrestre baixa (entre 350 e os 1400 km acima da superfície da Terra). Com 330 metros cúbicos, cada uma das estações infláveis é capaz de acomodar até seis turistas espaciais.

Turismo espacial

O turismo espacial não é necessariamente uma ideia nova. Mas uma série de empresas aerospaciais privadas está se dedicando a enviar pessoas ao cosmos. No futuro, ao que tudo indica, o espaço não será apenas dos astronautas, mas de todos aqueles com condições financeiras para conhecê-lo.

Nos Estados Unidos, a empresa SpaceX recentemente revelou planos para enviar duas pessoas à órbita lunar. Já a Virgin Galactic pretende viabilizar voos espaciais regulares. A Blue Origin, por sua vez, enviou um manequim ao espaço e lançou um vídeo demonstrativo de suas viagens espaciais futuras.

A Bigelow almeja dominar o mercado do turismo espacial reduzindo os custos envolvidos. Enquanto as demais empresas estão concentradas em construir espaçonaves para levar turistas à órbita terrestre baixa, a companhia americana está focada em criar uma estrutura mais barata e acessível à maior parte da população.

Em 2016, a empresa colocou em órbita o Bigelow Expandable Activity Module (BEAM). O módulo foi anexado à Estação Espacial Internacional e demonstrou que a tecnologia de habitat expansível da Bigelow não apenas funciona, como também é capaz de persistir no vácuo do espaço.

Enfim, será a Bigelow Aerospace capaz de revolucionar o futuro do turismo espacial?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook