Ciência

Esta base de pesquisa poderá abrigar humanos em Marte

Cientistas da Escola Politécnica Federal de Lausana, na Suíça, projetaram uma base de pesquisa para abrigar humanos em Marte. A estrutura, formada por um núcleo central, três cápsulas e uma cúpula, será capaz de proteger uma tripulação de até seis pessoas das condições adversas do planeta vermelho.

Habitando o polo norte marciano

A estratégia dos cientistas envolve enviar uma tripulação de seis pessoas ao polo norte de Marte. De acordo com os pesquisadores, a missão deverá durar nove meses. Em síntese, o plano é aproveitar ao máximo os recursos naturais encontrados no planeta vermelho, como água, silício, ferro, alumínio e enxofre.

base de pesquisa 01
Em síntese, a missão terá duas fases (Crédito: EPFL)

Os polos podem representar mais desafios no começo. Mas eles são a melhor localização a longo prazo, já que abrigam recursos naturais que podemos usar – Anne-Marlene Rüede (cientista envolvida no estudo)

Conforme os cientistas, a missão terá duas fases. Em primeiro lugar, robôs serão enviados para construir um espaço mínimo para a tripulação. Além disso, as máquinas também encarregadas de testar os recursos naturais disponíveis no local. Em um segundo momento, a tripulação será trazida a Marte.

Base de pesquisa em Marte

Em síntese, base de pesquisa será formada por três módulos. O primeiro deles é chamado de núcleo central. Com 12,5 metros de altura e cinco metros de diâmetro, a estrutura reuniria todos os elementos necessários para que a tripulação pudesse sobreviver no planeta vermelho.

base de pesquisa 02
Os cientistas projetaram também uma espécie de guindaste orbital (Crédito: EPFL)

Em torno do núcleo serão construídas cápsulas, que servirão como eclusas entre esse espaço e o exterior. Já a cúpula será uma espécie de iglu. Formada de fibra de polietileno e coberta com uma camada de gelo de três metros de espessura, a estrutura protegerá a tripulação contra radiação e micrometeoritos.

Sistema de guindaste orbital

Os cientistas projetaram também uma espécie de guindaste orbital. Em síntese, o equipamento será uma ponte de contato entre ônibus espaciais vindos da Terra e a base de pesquisa. Desse modo, o veículo permanecerá orbitando Marte e descarregará equipamentos dos ônibus espaciais na superfície.

O veículo (…) poderia ser reutilizado várias vezes e receberia combustível produzido em Marte. Reduziria a carga que os ônibus espaciais teriam que carregar para a base de pesquisa. – Claudio Leonardi (cientista envolvido no estudo)

base de pesquisa 03
A estratégia dos cientistas envolve enviar uma tripulação de seis pessoas (Crédito: EPFL)

Com motores localizados acima do centro de gravidade, o veículo terá um sistema acostagem do veículo similar ao usado na Estação Espacial Internacional. Sendo assim, quando um ônibus espacial atracar, o guindaste espacial descarregará a carga e a tripulação para, então, colocá-los em Marte.

Nós precisaríamos realizar uma missão inicial para experimentar tudo pela primeira vez. E quanto melhor for pensada (…), mais rápido seremos capazes de (…) avançar para a colonização. – Anne-Marlene Rüede (cientista envolvida no estudo)

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação

Futuro Exponencial é um site que se dedica a cobrir os mais recentes avanços tecnológicos e seus potenciais impactos para o futuro da humanidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Comentários no Facebook