missão
Ciência

6 astronautas voluntários estão prestes a simular uma missão em Marte

O experimento terá duração de duas semanas e deve iniciar ainda neste mês

Os últimos anos foram marcantes para a indústria espacial polonesa. Em 2012, a Polônia aderiu à European Space Agency, acelerando o desenvolvimento do setor da economia. Em 2015, o país estabeleceu sua agência espacial, a Polish Space Agency. E, agora, decidiu ir mais além, projetando uma missão simulada a Marte.

O experimento, chamado Poland Mars Analogue Simulation (PMAS) 2017, pretende investigar como astronautas se comportam durante missões planetárias de longa duração. O projeto estudará um grupo de seis astronautas voluntários, que irá trabalhar através de um cronograma realista de exploração espacial.

Esta será uma das missões analógicas de Marte mais abrangentes já realizadas na Europa – Mina Takla (Porta-voz do PMAS)

A iniciativa está sendo encabeçada pelo Space Generation Advisory Council (SEPG), e conta com importantes parceiros, como o The Mars Society, a European Space Agency e a European Space Foundation. O habitat simulado será construído ao lado de um hangar de combate nuclear no oeste da Polônia.

Uma missão simulada a Marte

Para tornar a missão possível, a PMAS 2017 arrecadou milhares de dólares com patrocinadores corporativos e por meio de sites de crowdfunding. Já para criação do habitat, o projeto contou com a participação da Space Garden Company, que arrecadou fundos e contribuiu com materiais.

Os organizadores apelidaram o habitat falso de Modular Analog Research Station (M.A.R.S.). O design da base foi prototipado pelo engenheiro de arquitetura polonês Jan Popowski:

missão base

Tornando a missão uma experiência real

O projeto pretende tornar a missão o mais realista possível a partir das informações que se tem sobre a atmosfera marciana. Para isso, os astronautas deverão seguir um cronograma rigoroso de experiências, tendo de lidar com avisos de tempestade de poeira, níveis de radiação e atrasos de comunicação irritantes.

Os astronautas terão seus sinais vitais (níveis de oxigênio, temperatura e pressão) controlados e serão monitorados a todo instante por psicólogos. Além disso, para que a impressão de estar longe da Terra seja convincente, deverão usar trajes espaciais enquanto estiverem fora da M.A.R.S.

Embora a missão seja de apenas duas semanas, a experiência poderá contribuir não somente para acelerar o desenvolvimento da indústria espacial da Polônia, como para fornecer valiosas lições para a primeira nação (ou empresa privada) que decidir levar humanos até o planeta vermelho.

Se tudo correr bem, a missão deverá iniciar em 31 de julho e terminar em 13 de agosto de 2017.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER SEMANAL

Redação do Futuro Exponencial

Comentários no Facebook